Partículas do vulcão de La Palma nos Açores? Especialista diz que informação é "precipitada"

Especialista em física e química da atmosfera defende que redução significativa da visibilidade está a ser provocada por poeiras do deserto do Saara.

Félix Rodrigues, especialista em física e química da atmosfera e doutorado em poluição atmosférica, classifica a informação divulgada pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) como, no mínimo, precipitada. Para este professor da Universidade dos Açores, não há dúvidas de que a neblina que se verifica nas ilhas do grupo central e oriental é motivada por poeiras do deserto do Saara e confessa que ficou surpreendido com a comunicação do IPMA.

"Estou surpreso com a posição do IPMA, a dizer que está relacionado com as emissões de La Palma. Efetivamente, não é fácil argumentar-se isso por várias razões, uma delas é o facto de os sulfatos serem transformações de gás partícula na atmosfera e, portanto, não há nenhum modelo meteorológico capaz de prever uma reação química desta natureza. Além disso, a composição química das poeiras do Saara, quando cruzam o Atlântico, tem na sua composição sulfatos - o que significa que dizer-se que são sulfatos originários do vulcão de La Palma parece-me ser, no mínimo, precipitado", explicou à TSF Félix Rodrigues.

Além disso, o especialista assegura que as imagens de satélite mostram muito bem qual é o percurso das poeiras no deserto: não passam pelas Canárias, mas chegam aos Açores. Quanto à recomendação dada pelas autoridades de saúde locais para que as pessoas usem máscara na rua, Félix Rodrigues não podia estar mais de acordo. Até porque a concentração de poeiras que existe exige cuidados.

"As poeiras são mais perigosas do que os sulfatos se tivesse havido uma transformação gás partícula porque os sulfatos são solúveis e, como tal, dissolvem-se no muco pulmonar, enquanto as poeiras são insolúveis, e, portanto, já não têm essa capacidade de dissolução. O que significa que é importante que as pessoas se protejam porque as concentrações estão a ser elevadas e essa situação deve ser devidamente informada. Por precaução, as pessoas devem usar máscara", acrescentou o especialista em física e química da atmosfera.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de