Pastores da Serra da Estrela contabilizam perdas nos incêndios para receberem ajudas

Dirigente da Associação Nacional de Criadores de Ovinos da Serra da Estrela foi contactado nesse sentido por Maria do Céu Antunes.

A Associação Nacional de Criadores de Ovinos da Serra da Estrela (ANCOSE) vai enviar ao Governo um levantamento das freguesias afetadas pelos incêndios da região desde sábado, para os pastores afetados serem ressarcidos.

"Este levantamento foi pedido pela senhora ministra da Agricultura [Maria do Céu Antunes], para que o Governo possa ajudar os pastores que ficaram sem pastos", disse hoje à agência Lusa o presidente da direção da ANCOSE, Manuel Marques.

O dirigente da ANCOSE, com sede em Oliveira do Hospital, no distrito de Coimbra, adiantou que, na terça-feira, foi contactado nesse sentido por Maria do Céu Antunes, tendo o mesmo pedido de informação sido reiterado esta quarta-feira por um responsável do gabinete da ministra da Agricultura.

"Vai sair em breve um despacho do Ministério da Agricultura relativo a essas ajudas excecionais", afirmou.

Com ironia, Manuel Marques disse que o fogo que deflagrou no sábado no concelho da Covilhã, no distrito de Castelo Branco, alastrando depois para o de Manteigas, no distrito da Guarda, "está a ser mais uma 'ajuda' ao setor", prejudicando a criação de ovelhas e a produção de queijo da Serra da Estrela, "como aconteceu em 2017", com os grandes incêndios verificados na altura na região, que causaram a morte de dezenas de pessoas.

De acordo com a informação disponibilizada hoje, pelas 13:40, no portal da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, o incêndio que eclodiu às 03:18 de sábado, na localidade de Garrocho, freguesia de Cantar-Galo e Vila do Carvalho, no concelho da Covilhã, estava a ser combatido por 1.156 operacionais, apoiados por 359 meios terrestres e nove meios aéreos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de