"Peter Doherty é uma grande autoridade na área das pandemias, e vai falar para os portugueses"

Peter Doherty já deixava, em 2012, um aviso à Humanidade: as pandemias poderiam estar iminentes. Agora, uma conferência com mão portuguesa coloca-o a falar para o mundo, junto de outras grandes vozes da atualidade.

O prémio Nobel de Medicina de 1996, Peter Doherty, escreveu, em 2012, um livro intitulado 'Pandemics - All You Need to Know About it' ['Tudo o que é necessário saber sobre as pandemias']. Trata-se de uma (quase) viagem ao futuro, com um alerta para os riscos que corríamos e o que poderia acontecer num mundo cada vez mais globalizado. Os alertas não ficam por aqui. É já esta quarta-feira que Peter Doherty falará aos portugueses e ao mundo, numa conferência com mão portuguesa e que se insere "no contexto da saúde mas é aberta a toda a sociedade, com motivos de interesse para todos".

Assim descreve Sérgio Almeida, fundador do Seal Group e do Global Healthcare Fórum, responsável pela conferência com o mote "Desenvolvimento e Sustentabilidade: que desafios para as organizações?", a realizar-se em Matosinhos. Trata-se de uma iniciativa que reunirá "pessoas que vêm dos Estados Unidos, da Austrália, de Israel, de Malta, da Índia, mas que no fundo são seres humanos constituídos pelas mesmas emoções e pelas mesmas frustrações que os portugueses".

"Peter Doherty é uma grande autoridade nessa área das pandemias, e vai falar para os portugueses e para todo o mundo", desvela o organizador, que não deixa de destacar outras presenças de realce. O "médico israelita Shai Efrati está a trabalhar neste momento para reverter o envelhecimento, ou seja, na capacidade de rejuvenescer todo o lado neuronal e atividade do cérebro, e é considerado uma referência mundial nesta área", destinada a "melhorar a saúde das pessoas e estender a esperança média de vida". Ao certame juntar-se-ão ainda "pessoas da moda, como a Fátima Lopes, empresários empreendedores", e nomes nacionais da ciência, como Alexandre Quintanilha.

Para Sérgio Almeida, as urgências também podem aguçar o engenho. "Esta é a grande oportunidade que a Covid-19 trouxe: a de conseguirmos, de forma digital, juntar as pessoas. Hoje estamos todos mais sensíveis à cooperação, sobretudo na área da ciência." O organizador reconhece a urgência de convocar "grandes profissionais", mas também "grandes seres humanos", para um espaço de reflexão, numa altura em que uma estrutura microscópica abala sistemas maciços, como grandes economias e potências. Além da pandemia, a desinformação impõe-se como uma ameaça, fundamenta Sérgio Almeida."Os cientistas sabem que, se não se unirem, as fake news acabam por ganhar importância."

"Há uma pressão extra, e o mundo misturou economia com política, com ciência, com comunicação. Tudo ficou virado do avesso. Esta pandemia inverteu a ordem natural das coisas." Com os surtos de Covid-19 a acelerarem em várias partes do mundo, "quem trabalha e está ligado à ciência tem hoje um sentido de missão muito mais vincado, para fazer frente a um desequilíbrio", acrescenta o fundador do Seal Group e do Global Healthcare Fórum.

A conferência de quarta-feira vem provar que só uma união de esforços pode vencer este (pequeno) grande obstáculo. "Quando falamos de saúde, não estamos apenas a falar de um tema. A saúde diz respeito aos empresários, aos professores, aos pais, aos alunos, ao Governo e a todos nós. A visão holística da saúde passa muito por nós trabalharmos em rede e partilharmos conhecimento. O que estamos a passar é uma consequência de algo e podemos aprender com isso." Sérgio Almeida espera, assim, que a partilha de conhecimentos indique o caminho. "Este cruzamento de opiniões traduz a essência do momento atual. Ninguém está livre de nada e tudo o que dávamos como certo há seis meses já não existe. Já não há certezas na gestão de uma empresa e na educação dos nossos filhos, e há que aprender."

Não há como esquecer, assinala o organizador, que o lado "mais selvagem do capitalismo e dos interesses individuais e de algumas nações" também "nos trouxe até aqui, de alguma forma", até porque "historicamente temos tido grandes especialistas que, devido a agendas próprias, não serviram a Humanidade".

A conferência Connecting Healthcare 2020 não deixa por isso de parte o exercício ético e o debate da responsabilidade social. "Para dar um passo em frente, também a ética e uma estrutura de valores são importantes para tornarem o mundo mais consciente de que um bichinho tão pequeno nos pode impedir de beijar os nossos pais e avós, numa espécie de pandemia emocional que acelera a demência", lembra Sérgio Almeida.

A abertura da conferência dar-se-á às 09h00 e o encerramento, às 13h00, será feito por Marta Temido, ministra da Saúde. Todos os oradores se farão presentes através de plataforma virtual, e os moderadores estarão no terminal de Leixões, em Matosinhos. Para seguir a conferência, basta aceder ao site e assistir com som original ou com tradução em simultâneo.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de