PJ apreende obra de Almada Negreiros. Quatro pessoas detidas em operação europeia

Além da pintura de Almada Negreiros, foi apreendido um documento peruano do sec. XVI e uma pintura em madeira do pintor Diogo Contreiras e foi recuperado um painel de azulejos do Sec. XVII "A adoração dos pastores", que tinha sido furtado de uma capela.

A Polícia Judiciária (PJ) deteve quatro pessoas e apreendeu património cultural num valor de 150.000 euros, entre ele uma pintura de Almada Negreiros, num conjunto de ações integradas na operação europeia "Pandora V".

Em comunicado, a PJ refere que as ações integradas na operação "Pandora V", coordenada pela Europol e dirigida ao combate à atividade criminosa de furto, tráfico e viciação de obras de arte e bens culturais, decorreram no ano passado em 31 países europeus.

Ao longo da operação foram feitas diversas apreensões em alguns dos países envolvidos.

"No cumprimento das suas competências reservadas, a Polícia Judiciária irá prosseguir as investigações necessárias nos diversos inquéritos criados, com vista ao esclarecimento da mencionada atividade delituosa no nosso País", refere a nota da PJ.

Segundo a Europol, no total foram apreendidos mais de 56.400 bens culturais e detidas 67 pessoas.

Entre o património apreendido encontram-se objetos arqueológicos, móveis, moedas, pinturas, instrumentos musicais e esculturas.

Foram igualmente feitas dezenas de milhares de verificações e inspeções em diversos aeroportos, portos, pontos de passagem de fronteira, bem como em casas de leilão, museus e residências particulares, que resultaram na abertura de mais de 300 investigações.

A operação "Pandora V", que contou igualmente com a cooperação da Interpol, decorreu entre 01 de junho e 31 de outubro de 2020.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de