PJ fez buscas na câmara de Faro. Vice-presidente constituído arguido

Além da câmara, também a empresa municipal AmbiFaro foi alvo de buscas. Foram constituídos quatro arguidos, no total.

A câmara municipal de Faro foi, esta terça-feira, alvo de buscas por parte da diretoria de Faro da Polícia Judiciária (PJ). A TSF apurou que as buscas visaram o gabinete do vice-presidente, Paulo Santos, que foi constituído arguido.

Na origem das buscas está "um inquérito dirigido pelo Ministério Público do Departamento de Investigação e Ação Penal de Faro" ao abrigo do qual se está a investigar eventuais crimes "de corrupção, de participação económica em negócio, de peculato e de prevaricação", contextualizou a Procuradoria-Geral da República (PGR) numa resposta escrita enviada à Lusa.

Uma nota da Polícia Judiciária indica que foram constituídos quatro arguidos, sem especificar quem são e que funções desempenham.

Além da câmara municipal, as buscas estenderam-se à AmbiFaro, uma empresa que gere vários equipamentos municipais, como o mercado municipal.

A câmara municipal facultou à equipa da PJ todas as informações e documentos solicitados.

Há cerca de um ano, a câmara de Faro também foi alvo de buscas. Nesse momento, a Polícia Judiciária levava a cabo a Operação Tutti Frutti, que investigava crimes de corrupção passiva, tráfico de influência, participação económica em negócio e financiamento proibido.

* Atualizado às 18h10

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de