PJ nega que tenha contratado Rui Pinto

As autoridades revelam que o pirata informático está protegido ao abrigo do programa de proteção de testemunhas.

A Polícia Judiciária confirma que Rui Pinto está protegido ao abrigo do programa de proteção de testemunhas.

Em comunicado, a polícia recusa a ideia que tenha contratado Rui Pinto e afirma que o pirata informático não recebe qualquer vencimento. Garantindo que cumpre a lei, a PJ diz que o pirata informático está, no entanto, ao abrigo da Lei de Proteção de Testemunhas.

As despesas são pagas pelo Estado ao abrigo desse programa.

Rui Pinto, criador da plataforma Football Leaks e responsável pelo processo Luanda Leaks, em que a Isabel dos Santos é a principal visada, saiu na sexta-feira em liberdade, por decisão da juíza Margarida Alves, encontrando-se agora inserido no programa de proteção de testemunhas em local não revelado e sob proteção policial, por questões de segurança.

O Ministério Público (MP) opôs-se à libertação, que foi justificada pela juíza Margarida Alves com a "contínua e consistente colaboração" com a Polícia Judiciária e o "sentido crítico" do criador da plataforma Football Leaks.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de