PJ realiza buscas no ICNF por causa do aeroporto do Montijo

O parecer favorável da Agência Portuguesa do Ambiente à construção do aeroporto do Montijo continua a suscitar dúvidas. A PJ está a realizar buscas no âmbito de uma investigação à atuação de instituições públicas.

Está em curso uma investigação relativa à última avaliação de impacte ambiental do aeroporto do Montijo e a Polícia Judiciária está a realizar buscas no Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) e na Agência Portuguesa do Ambiente (APA), avança a revista Sábado.

A Declaração de Impacte Ambiental, da autoria da APA e datada de 21 de janeiro, faz um parecer positivo da edificação no Montijo de um complemento ao aeroporto de Lisboa, mas faz depender a aprovação da construção de 160 medidas que a ANA tem de cumprir para minimizar as consequências ambientais. A ANA foi surpreendida com estas medidas, cujo peso estimado é de 48 milhões de euros, 20 dos quais para o isolamento sonoro de edifícios nas proximidades e outros 10 milhões de euros reservados para a compra de dois barcos para o transporte de passageiros para Lisboa, a cargo da Transtejo.

Foram ainda estabelecidas outras 200 condições, sobretudo para atenuar os efeitos nos habitats das aves do estuário do Tejo, que tem estado no centro da polémica em torno do novo aeroporto. Almargem, ANP/WWF, A Rocha, FAPAS, Geota, LPN, SPEA e ZERO procederam nessa altura a entregar um comunicado em que contestam o parecer positivo enunciado na declaração.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de