Por colaborar com a justiça, Rui Pinto vai ser libertado com termo de identidade e residência

O criador do site Football Leaks, que estava há 4 meses em prisão domiciliária, vai ser posto imediatamente em liberdade.

A medida de coação aplicada a Rui Pinto vai passar a ser de termo de identidade e residência, com obrigação de apresentação semanal à Polícia Judiciária (PJ).

A informação foi confirmada à TSF por um dos advogados do arguido.

Depois da prisão preventiva decretada quando foi inicialmente detido, o pirata informático estava há quatro meses em prisão domiciliária, num apartamento para testemunhas nas instalações da sede da PJ, em Lisboa.

A TSF apurou que tal como na passagem, em abril, para prisão domiciliária, o novo despacho da juíza, que decide agora pela libertação imediata de Rui Pinto, argumenta com a colaboração que o hacker tem prestado às autoridades em várias investigações.

Recorde-se que Rui Pinto tem sido peça fundamental nos processos relacionados com os casos Luanda Leaks e Football Leaks.

Rui Pinto começa a ser julgado a 4 de setembro no Tribunal Central Criminal de Lisboa por 90 crimes: 68 de acesso indevido, 14 de violação de correspondência, seis de acesso ilegítimo e ainda por sabotagem informática à SAD do Sporting e por tentativa de extorsão.

"Mina de informação"

Um dos advogados de Rui Pinto mostrou-se satisfeito com a decisão de libertar o autor do Football Leaks.

"Estamos muito felizes e aliviados por esta decisão de libertação. Foi mesmo dito que ele é uma mina excecional, extraordinária, de informação. A exploração destas informações vai ser útil, não só para o apuramento da verdade, mas também ao contribuintes e ao consumidores portugueses e europeus", disse William Bourdoin, em declarações à RTP.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de