Portugal com novo máximo de casos pelo terceiro dia consecutivo e 34 mortes

Estão nas enfermarias dos hospitais portugueses mais 45 pessoas desde quarta-feira e há menos um internado nos cuidados intensivos.

Estão confirmadas 19.447 mortes devido à Covid-19 em Portugal, mais 34 do que no último boletim epidemiológico emitido pela Direção-Geral da Saúde (DGS). O número de pessoas infetadas pela doença, até agora, é de 2.059.595, mais 56.426 nas últimas 24 horas.

CONSULTE AQUI O BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO

Os dados desta quinta-feira da DGS indicam que estão atualmente mais de 384 mil pessoas infetadas com o SARS-CoV-2 e quase 392 mil são contactos em vigilância, o que perfaz um total de cerca de 777 mil pessoas em confinamento obrigatório.

Desde dezembro, o número de casos de infeção tem vindo aumentar gradualmente, um agravamento da situação pandémica que os especialistas atribuem à maior capacidade de contágio da variante Ómicron, com os mais de 56 mil casos desta quinta-feira a constituírem um novo máximo diário desde o início da pandemia.

Nos primeiros 20 dias deste ano, Portugal já registou 13 dias com mais de 80 mil casos diários. O número de pessoas internadas ultrapassou as duas mil, com mais 45 internamentos em enfermaria e menos uma nas unidades de cuidados intensivos.

Desde o início da pandemia mais de 1,6 milhões de pessoas já recuperam da infeção. A Covid-19 provocou mais de 5 milhões de mortes em todo o mundo desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China.

Uma nova variante, a Ómicron, classificada como preocupante e muito contagiosa pela Organização Mundial da Saúde (OMS), foi detetada na África Austral e, desde que as autoridades sanitárias sul-africanas deram o alerta em novembro, tornou-se dominante em vários países, incluindo em Portugal.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de