Portugal deverá recomendar vacina da Johnson & Jonhson só para pessoas com mais de 60 anos

Autoridades de saúde portuguesas já recomendam o uso de vacinas da AstraZeneca apenas em pessoas com mais de 60 anos e podem tomar uma decisão semelhante com a da Janssen.

Portugal vai recomendar o uso da vacina da Janssen, subsidiária europeia da Johnson & Jonhson, apenas para pessoas com mais de 60 anos, idade a partir da qual não houve uma associação entre a inoculação e a formação de coágulos sanguíneos.

Segundo apurou o Diário de Notícias "junto de fontes seguras", "é muito provável que haja uma decisão semelhante à que foi tomada com a vacina da AstraZeneca".

A recomendação deve ser oficializada ainda esta quarta-feira, numa reunião entre a Direção-Geral da Saúde (DGS) e o Infarmed, após proposta da comissão técnica de avaliação para as vacinas contra a Covid-19.

Esta terça-feira a Johnson & Johnson anunciou que vai retomar as entregas da vacina na Europa, na sequência da avaliação positiva do Comité de Avaliação de Risco e Farmacovigilância da Agência Europeia do Medicamento (EMA), que considera os benefícios da vacina muito superiores ao risco.

Em causa está uma investigação a oitos casos de coágulos sanguíneos associados a baixos níveis de plaquetas sanguíneas após toma da vacina nos Estados Unidos (um dos quais resultou numa morte), num universo de sete milhões de pessoas vacinadas naquele país.

A farmacêutica comprometeu-se alterar a bula para assumir esse risco, considerado "raro". A nova documentação vai "incluir informações importantes sobre o diagnóstico e a gestão" da formação de coágulos sanguíneos associados a baixas contagens de plaquetas e que podem ocorrer num prazo de uma a três semanas após a injeção.

"Os profissionais de saúde serão alertados para os sinais e sintomas de tromboembolismo com trombocitopenia, bem como para o curso apropriado do tratamento", lê-se num comunicado da farmacêutica.

A AstraZeneca é alvo de suspeita semelhante, tendo a EMA já concluído que existe uma possível ligação entre a vacina contra a Covid-19 desta farmacêutica e a ocorrência de fenómenos trombóticos.

Não foi recomendada a suspensão da vacina da AstraZeneca por se considerar que os benefícios globais superam os riscos de efeitos secundários, mas as autoridades de saúde portuguesas recomendam o seu uso apenas em pessoas com mais de 60 anos.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de