Nas últimas horas. Portugal entre destinos mais procurados por britânicos para o verão

Transportadoras aéreas easyJet e Jet2.com anunciaram ambas terem registado um aumento de 600% na procura de pacotes de férias em países como Espanha, Portugal e Grécia.

Portugal foi um dos destinos turísticos mais procurados pelos britânicos nas últimas horas, após o anúncio do Governo para aliviar o confinamento em vigor em Inglaterra devido à Covid-19, apesar de os voos com o Reino Unido continuarem interditos.

As transportadoras aéreas easyJet e Jet2.com anunciaram ambas terem registado um aumento de 600% na procura de pacotes de férias em países como Espanha, Portugal e Grécia, apesar de o primeiro-ministro, Boris Johnson, não ter avançado uma data para que deixe de ser proibido viajar para o estrangeiro sem justificação válida.

No plano publicado está escrito que a proibição de viagens ao estrangeiro e restrições na entrada no Reino Unido vão continuar, pelo menos, até 17 de maio, mas Johnson espera receber um relatório até 12 de abril com medidas para permitir o reinício do tráfego aéreo.

Uma via pode ser um sistema internacionalmente reconhecido de passaportes de vacinas anti-Covid-19, que o Reino Unido pretende fazer avançar durante a presidência este ano do G7, embora o primeiro-ministro britânico tenha reconhecido que a ideia levanta questões éticas "complexas".

"Existem questões profundas e complexas que precisamos explorar, questões éticas sobre qual é o papel do Governo em exigir que todas as pessoas tenham algo ou mesmo proibir as pessoas de fazerem tal coisa", admitiu esta terça-feira.

No plano, o Governo admite "tentar introduzir um sistema que permita a indivíduos vacinados viajarem internacionalmente com maior liberdade", mas também refere que "qualquer sistema desse tipo levará tempo a ser implementado" e que vai depender dos estudos sobre a eficácia das vacinas e a imunização ser generalizada.

Além de ser proibido fazer férias ou viajar sem um motivo válido para o estrangeiro, 33 países incluindo Portugal estão sem voos diretos para o Reino Unido devido ao risco agravado de transmissão de variantes do vírus que causa a Covid-19, especialmente aqueles detetadas no Brasil e África do Sul.

Existem ainda uma série de outras restrições a viagens internacionais, incluindo três testes e quarentena obrigatória de dez dias, a qual tem de ser cumprida num hotel designado pelas autoridades e custeado pelas pessoas que cheguem dos 33 países da "lista vermelha".

O plano de desconfinamento para Inglaterra tem quatro etapas com pelo menos cinco semanas de intervalo e sujeitas a vários fatores, começando com a reabertura das escolas a 08 de março e culminando no fim de quase todas as restrições em 21 de junho.

O Reino Unido registou nas últimas 24 horas mais 548 mortes, totalizando 121 305 óbitos desde o início da pandemia Covid-19, o balanço mais alto na Europa e o quinto a nível mundial, atrás apenas dos Estados Unidos, Índia, Brasil e México.

A pandemia de Covid-19 provocou, pelo menos, 2 474 437 mortos no mundo, resultantes de mais de 111 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal morreram 16 086 pessoas dos 799 106 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de