Portugal pediu aeronaves a França e Grécia, mas já estavam ocupadas

Os franceses estão a braços com vários fogos no seu país e os gregos já estão a apoiar a Albânia e a Croácia.

O ministro da Administração Interna, José Luís Carneiro, revelou esta quinta-feira que Portugal pediu a França e à Grécia o envio de meios de combate aos incêndios e que essa requisição não recebeu resposta positiva.

O governante explicou que, no caso de França, o país não pôde ajudar Portugal por estar a lidar com "incêndios florestais intensos" no seu próprio território nacional.

Já no caso da Grécia, o país já tem investidos os seus meios aéreos no apoio ao combate a "incêndios intensos" na Albânia e na Croácia.

Portugal teve, ao abrigo do mecanismo europeu de Proteção Civil, duas aeronaves espanholas a participar no combate aos fogos e que tiveram, entretanto, de regressar ao país de origem para responder a necessidades nacionais "intensas e graves".

Em conferência de imprensa na sede da Proteção Civil, José Luís Carneiro sublinhou também que "todos os recursos" do país para o combate aos incêndios podem ser mobilizados ao abrigo do estado de contingência, que foi alargado até domingo.

O ministro da Administração Interna esteve reunido com os ministros do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, da Saúde, do Ambiente e Ação Climática e da Agricultura e Alimentação para avaliar as medidas adotadas no âmbito da Declaração de Situação de Contingência, encontro que vai repetir-se na manhã do próximo domingo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de