Portugal quinto do mundo e quarto da UE com mais novos contágios diários

Portugal está com uma média de 4730 casos por milhão de habitantes, quando na segunda-feira passada estava com 3440.

Portugal continua esta semana a ser o quarto país da União Europeia com mais novos casos diários de contágio com SARS-CoV-2 e passou de sexto para quinto no mundo, segundo o 'site' estatístico Our World in Data.

De acordo com os dados atualizados à data desta segunda-feira, o Estado-membro com maior média de novos contágios por milhão de habitantes a sete dias é a Dinamarca, com 6550, seguida de França (5340) e Eslovénia (4810), enquanto Portugal está com uma média de 4730 casos, quando na segunda-feira passada estava com 3440.

A nível mundial neste indicador, e considerando apenas os países e territórios com mais de um milhão de habitantes, no topo da lista encontra-se Israel, com uma média diária de 6750 novos casos, seguido da Dinamarca, França, Eslovénia e Portugal.

A média europeia neste indicador subiu esta semana de 2130 novos casos diários para 2570, enquanto a mundial subiu de 372 para 417.

Quanto à média de mortes diárias atribuídas à Covid-19, subiu esta semana de 2,67 para 3,74, ligeiramente abaixo da média europeia, que esta semana desceu de 3,98 para 3,79.

O Estado-membro com maior média de mortes diárias a sete dias continua esta semana a ser a Bulgária, com 11,9, seguida da Croácia (10,1), Eslováquia e Grécia (8,9) e Hungria (8,6).

Bulgária, Bósnia-Herzegovina (10,6), Croácia, Geórgia (9), Eslováquia e Grécia (8,1) são os países com mais de um milhão de habitantes que apresentam as maiores média de mortes diárias atribuídas à Covid-19 a nível mundial nos últimos sete dias.

A Covid-19 provocou pelo menos 5,58 milhões de mortes em todo o mundo desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

Em Portugal, desde março de 2020, morreram 19.569 pessoas e foram contabilizados 2.221.825 casos de infeção, segundo a última atualização da Direção-Geral da Saúde.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China.

Uma nova variante, a Ómicron, classificada como preocupante e muito contagiosa pela Organização Mundial da Saúde (OMS), foi detetada na África Austral e, desde que as autoridades sanitárias sul-africanas deram o alerta em novembro, tornou-se dominante em vários países, incluindo em Portugal.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de