Portugal terá mais quatro novos medicamentos para prevenir casos graves de Covid

Autoridades de saúde e do medicamento portuguesas já concluíram o processo para aquisição dos dois medicamentos contra a Covid-19 .

Graça Freitas avisou que a atividade viral está muito alta este inverno e que, para evitar doenças graves, a população deve aderir ao reforço da vacinação contra a Covid-19. Para ajudar, Portugal contará também em breve com os mais recentes medicamentos aprovados na quinta-feira pelos peritos europeus.

As autoridades de saúde e do medicamento portuguesas já concluíram o processo para aquisição dos dois medicamentos contra a Covid-19 aprovados na quinta-feira pela Agência Europeia do Medicamento (EMA), anunciou esta sexta-feira a diretora-geral da Saúde. São anticorpos monoclonais que deverão juntar-se a dois novos antivíricos em vias de aprovação.

"Já temos os processos concluídos para a aquisição centralizada e conseguimos também por via da aquisição não centralizada, via só do nosso país. Relativamente aos antivirais que estão ainda em estudo pela EMA, a Comissão Europeia já começou o processo para a aquisição centralizada, que começa sempre com a previsão de necessidades. Cada vez tem de dizer o que pensa que vai necessitar para a sua população. Estamos nessa fase", explicou Graça Freitas.

Os dois medicamentos Ronapreve e Regkirona são os primeiros medicamentos anticorpos monoclonais a receberem um parecer positivo, segundo o regulador europeu, explicando que os anticorpos monoclonais "são proteínas concebidas para se anexar a um alvo específico, neste caso a proteína spike da SRA-CoV-2, que o vírus utiliza para entrar em células humanas".

Para o Ronapreve a EMA recomendou a autorização para o tratamento da Covid-19 em adultos e adolescentes (a partir dos 12 anos e com pelo menos 40 quilos), que não necessitem de oxigénio suplementar e que corram um risco acrescido de a sua doença se tornar grave.

O medicamento também pode ser utilizado para prevenir a Covid-19 em pessoas com mais de 12 anos, diz a EMA na sua página oficial.

Quanto ao Regkirona, a EMA recomendou também autorizar o medicamento para o tratamento de adultos com Covid-19 que não necessitem de oxigénio suplementar e que estão igualmente em risco acrescido de a sua doença se tornar grave.

A EMA diz ter avaliado dados de estudos que mostram que o tratamento com os dois medicamentos reduz significativamente as hospitalizações e as mortes em doentes com Covid-19.

Ao todo serão em breve mais quatro novos medicamentos para ajudar a prevenir os casos mais graves de Covid-19, ou seja, os casos que escaparem à vacinação, que continua a ser o melhor remédio.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de