Português em Beirute pede ajuda para regressar a Portugal

Berta Nunes lembra que quem tiver familiares no Líbano a precisarem de ajuda "pode contactar o gabinete de emergência consular a partir do portal das comunidades, por telefone ou por e-mail".

Não há registo oficial de portugueses afetados pelas duas violentas explosões que deixaram um rasto de destruição no Líbano, mas Portugal já recebeu, pelo menos, um pedido de ajuda, avança à TSF a secretária de Estado das Comunidades Portuguesas, Berta Nunes. Trata-se de um português casado com uma cidadã libanesa e que quer regressar ao país de origem para conseguir um visto para a mulher.

"Tivemos, durante a noite, um pedido para o gabinete de emergência consular de um familiar de um português que vive há cerca de um ano em Beirute e que vive num prédio de apartamentos. Felizmente, vivendo no 10.º andar, não teve qualquer problema, embora o rés-do-chão e o primeiro andar tivessem sido destruídos. O que ele pede é ajuda para regressar nestas circunstâncias, uma vez que vai precisar de um visto para a esposa", adianta Berta Nunes.

A secretária de Estado garante que a diplomacia nacional se mantém atenta e que todas as informações que tem recebido de portugueses no Líbano são "no sentido de dizer que estão bem, exceto um casal que estava de férias fora de Beirute e que reportou que o seu apartamento terá sido destruído".

Berta Nunes lembra que quem tiver familiares no Líbano a precisarem de ajuda "pode contactar o gabinete de emergência consular a partir do portal das comunidades, por telefone ou por e-mail". O serviço está disponível "24 horas por dia", garante.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de