Praxe em Coimbra decorre com "muita cautela" e sem contacto físico

Com o início das aulas do primeiro ano no ensino superior, começa também a praxe. Mas este ano, só em Coimbra.

Apesar da pandemia da Covid-19, a praxe em Coimbra não foi suspensa e já se veem vários grupos de alunos a praxar. Como o contexto é diferente, há novas regras e o contacto físico não é permitido.

O estudante João Taveira explica que "têm de estar divididos em grupos de dez, com distanciamento de dois metros, usar máscara e desinfetante" e não podem tocar no chão. O aluno de Geografia alerta que "os casos estão a subir e é preciso muita cautela. Queremos que isto corra bem".

Os estudantes concordam com a existência de praxe porque "é uma tradição de Coimbra de há muitos anos", considera João Mateus. "Se cumprirmos as regras, não vejo qualquer problema em haver praxe", assegura.

Os grupos de alunos estão a espalhar-se pela cidade para que não haja aglomeração de pessoas. Amanda Santos e Ricardo Pereira reuniram oito alunos do primeiro ano no Jardim da Sereia e vão "apostar em jogos de adivinhas, jogos de apresentação e em cantar músicas".

Com as novas regras, inventam-se também novas atividades. Maria Matilde Barata diz que este ano vão fazer "jogos de autoconhecimento e de conhecimento sobre os colegas" onde os alunos vão ter de fazer "perguntas e deduções uns sobre os outros".

Quanto ao balanço dos alunos do primeiro ano que estão a participar na praxe, por agora é positivo. Afonso Andrade garante que se "sente seguro" e que "estão a ter cuidado com o distanciamento, a desinfeção das mãos e o uso de máscara". Também Carlota Lima diz que "até agora está a correr bem. Dentro de todo o panorama, há um pouco de normalidade". A estudante defende que "se toda a gente tiver cuidado, tudo se consegue fazer. É a mesma coisa com as aulas e com o nosso dia-a-dia".

O reitor da universidade de Coimbra garante que se vai manter atento e que vai intervir em caso de excessos. O Conselho de Veteranos só prevê a suspensão total da praxe caso a universidade seja fechada ou haja um novo confinamento.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de