Processo do bebé sem rosto arquivado

Ministério Público considerou que não há provas de que o médico Artur Carvalho tenha praticado algum crime.

Foi arquivado o processo de Rodrigo, conhecido como bebé sem rosto por ter nascido, há cerca de ano e meio, sem olhos, nariz e parte do crânio. Os pais avançaram com um processo judicial contra o médico que acompanhou a gravidez e não detetou, nas ecografias, as malformações do feto.

Segundo a CMTV, o Ministério Público considerou que não há provas de que Artur Carvalho tenha praticado algum crime, nomeadamente o de ofensas à integridade física na forma qualificada. Os pais foram informados da decisão esta quinta-feira de manhã.

O Tribunal de Setúbal considera que o médico não é responsável pelas malformações da criança e nada podia ter feito para as evitar. Para o magistrado, os pais deviam ter sido informados dos problemas de saúde do filho, significando isso que houve apenas uma violação do direito à escolha do não nascimento.

Entretanto, o médico Artur Carvalho foi expulso da Ordem dos Médicos e decidiu reformar-se.

Rodrigo nasceu em 7 de outubro de 2019 no Hospital de São Bernardo, do Centro Hospitalar de Setúbal, com várias malformações graves, como falta de olhos, nariz e parte do crânio, sem que o médico Artur Carvalho, que realizou as ecografias de acompanhamento da gravidez, tivesse detetado ou sinalizado aos pais qualquer problema.

O obstetra que realizou as ecografias numa unidade privada, a Ecosado, tinha já cinco queixas em curso na Ordem dos Médicos, algumas desde 2013.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de