Propriedade milionária de Abramovich congelada no Algarve a pedido do MNE

A propriedade está avaliada em dez milhões de euros e fica na Quinta do Lago.

Uma propriedade milionária de Roman Abramovich, no Algarve, está congelada a pedido do Ministério dos Negócios Estrangeiros. A informação é avançada pelo Público, que indica que o oligarca russo tinha tentado vender o imóvel 15 dias antes da invasão da Ucrânia.

A propriedade está avaliada em dez milhões de euros e fica na Quinta do Lago, no Algarve. O mesmo jornal conta que foi a Caixa Geral de Depósitos (CGD) a dar o alerta à Polícia Judiciária depois de ter recebido um pedido de crédito à habitação em fevereiro e de o negócio ter chamado a atenção do banco.

O cliente era David William Dalzell, um cidadão da Irlanda do Norte que pedia cinco milhões de euros de empréstimo. A vender a casa estava a Millhouse Views, uma empresa que é detida por uma holding de investimentos de Abramovich sediada numa offshore no Delaware, nos EUA.

Foram também detetadas, pela Caixa Geral de Depósitos, ligações a uma outra sociedade, a Millhouse Capital, no Reino Unido, que administra ativos do empresário russo. Quando pediu o empréstimo, o comprador da Irlanda do Norte disse à CGD que tinha 50% da sociedade vendedora e que os outros 50% pertenciam à ex-mulher, de quem se estava a divorciar e a quem queria comprar a parte que lhe pertencia.

No entanto, o cliente não apresentou nenhum documento a comprovar a estrutura da sociedade da empresa, o que levantou suspeitas de que o negócio serviria para Abramovich alienar o imóvel no Algarve. O empresário tentou fazer o mesmo com várias propriedades espalhadas pelo mundo para tentar contornar o congelamento de bens, uma sanção muito aplicada pelo Ocidente aos oligarcas russos próximos de Putin.

Até ao momento, em Portugal, sabia-se apenas do congelamento de uma conta bancária de um oligarca russo, não identificado, que teria pouco mais de 200 euros.

ACOMPANHE AQUI TUDO SOBRE A GUERRA NA UCRÂNIA

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de