Proprietária de lar ilegal em Torres Novas detida por suspeita de vários crimes

Mulher de 41 anos não comunicou às autoridades, nem às famílias, a morte de duas idosas.

A Polícia Judiciária deteve, esta sexta-feira a proprietária de um lar de idosos que funcionava de forma ilegal, em Torres Novas, por suspeita da prática de "dois crimes de maus-tratos agravados pelo resultado morte, um crime de profanação de cadáver e dois crimes de maus-tratos".

A detenção foi anunciada pela PJ em comunicado, no qual acrescenta que a mulher de 41 anos tinha, na casa que usava de forma ilegal, quatro idosos. Cobrava "uma mensalidade fixa, comprometendo-se a prestar os cuidados devidos".

Na sequência dos maus tratos, duas das idosas morreram e o cadáver de uma delas foi ocultado "por tempo ainda indeterminado".

A mulher detida não comunicou "a morte ocorrida às autoridades competentes ou a familiares" e vai ser agora presente às autoridades judiciárias competentes para aplicação de medidas de coação.

Pedro Ferreira, autarca de Torres Novas, garantiu que as outras duas mulheres que estavam nesta residência alugada e transformada em lar clandestino estão bem de saúde.

"Tirámos as duas idosas que sobreviveram para irem para o Hospital de Torres Novas onde foi feito o diagnóstico para ver se estavam bem ou subnutridas. Estavam bem e até foi com agrado que ouvi ontem à noite uma mensagem do presidente do hospital a dizer que as duas idosas estão muito bem e que as enfermeiras e médicos acham que são muito carinhosas", revelou à TSF Pedro Ferreira.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de