PSD apoia movimento de Terra de Miranda sobre negócio das barragens da EDP

Adão Silva realça que "o parlamento é um bom palco para fazer estas averiguações da verdade" e não vai "desistir" desta questão. O PSD concorda com o movimento que pede que a região receba já os 110 milhões de euros.

O PSD apoia a iniciativa do Movimento Cultural da Terra de Miranda que se prepara para apresentar uma queixa em Bruxelas, por causa do negócio da venda das barragens da EDP aos franceses da Engie. O negócio deveria ter-se traduzido em 110 milhões de euros em impostos, para compensar Trás-os-Montes pelo prejuízo que causou às populações, mas o Fundo criado pela lei não recebeu ainda qualquer valor. O deputado e líder parlamentar do PSD, Adão Silva, diz, no Fórum TSF , "acompanhar inteiramente este tipo de ações".

Entrevistado pelo jornalista Manuel Acácio, Adão Silva considera que este movimento "tem sido um exercício de cidadania exemplar" e sublinha que "tudo aquilo que seja para por a nu, para por claro, para dar verdade a um processo que aparentemente está misturado por vários exercícios labirínticos e de escamoteamento e de oportunismo é de apoiar".

Adão Silva realça ainda que "o parlamento é um bom palco para fazer estas averiguações da verdade" e que o PSD não vai "desistir" desta questão.

"A verdade tem de prevalecer e a injustiça não pode dar passos", remata.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de