Quatro meios aéreos combatem reativações no incêndio em Vila Pouca de Aguiar

Estão no local 175 operacionais, 47 viaturas e quatro meios aéreos.

Cinco meios aéreos e cerca de 150 operacionais estão em Valoura, Vila Pouca de Aguiar, a combater reativações e a efetuar ações de consolidação de rescaldo do incêndio que deflagrou na segunda-feira numa área florestal.

O comandante distrital de proteção civil de Vila Real, Álvaro Ribeiro, diz à TSF que os trabalhos estão em consolidação, mas sublinha as dificuldades sentidas no terreno. "Não há descontinuidade no terreno, o que pressupõe que os trabalhos possam ter de chegar ao solo mineral", adianta.

O comandante distrital garante que este "não é um incêndio que esteja a progredir com várias frentes, é um incêndio que devido aos pontos quentes existem reativações". O incêndio não consegue ancorar em zonas onde não há combustível", sublinha.

Segundo a página da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), pelas 17h20 estavam mobilizados para o local 175 operacionais, 47 viaturas e quatro meios aéreos.

O incêndio lavrou numa zona de declive acentuado e de povoamento florestal na serra da Padrela, com pinhal, castanheiros e sobreiros.

Trata-se também de uma área com acessos difíceis para os veículos e de declive acentuado, pelo que a máquina de rastos que está no local apenas pode operar em alguns troços.

O alerta foi dado às 18h54 de segunda-feira e o fogo evoluiu com grande velocidade, pelo que o ataque inicial foi musculado, tendo sido mobilizado de imediato dezenas de operacionais e, inclusive, oito meios aéreos que operaram até ao pôr-do-sol.

O incêndio foi dado como estando em resolução pelas 01h48 e, durante a manhã desta terça-feira, sofreu reativações.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de