Quem quer dar nome ao novo bebé leão-marinho?

É fêmea, tem menos de um mês e é o elemento mais novo do parque aquático Zoomarine.

A bebé leão-marinho nasceu de pai algarvio e mãe alemã. "Ela chegou à maturidade e foi possível cruzar-se com um macho, o Pancho", afirma Élio Vicente. O diretor de relações externas do Zoomarine explica que a cria nasceu um ano depois da cópula, embora a gestação seja de 9 meses. "É uma coisa fantástica nesta espécie e uma das curiosidades que a biologia tem." Élio Vicente explica que Mia, a mãe, tem 6 anos e esta foi a sua primeira cria. O pai, Pancho, é mais velho, tem 14 anos. Quanto à cria, ainda não foi batizada. O parque aquático lança o desafio a quem o visita ou segue nas redes sociais que dê sugestões para um nome.

Os machos desta espécie, o leão-marinho californiano, atingem facilmente os 300 quilos, as fêmeas cerca de 180 quilos. Mas a pequena cria nasceu apenas com cerca de 4-5 quilos. "Não sabemos o peso exato porque evitamos manipulá-la nos primeiros dias, mas nesta altura já terá cerca de 10 a 11 quilos", refere o biólogo marinho.

A pequena leão-marinho ainda pouco se aventura e por enquanto ir à água não é com ela. Prefere o conforto de estar ao lado da mãe. "Para a mãe esta foi a sua primeira cria por isso esse descobrimento do mundo por parte da cria vai depender muito dela, de lhe dar mais ou menos liberdade", considera Élio Vicente. Mas cada caso é um caso e o diretor de relações externas do parque aquático acredita que tudo vai depender da energia que a pequena bebé tenha para descobrir o mundo à sua volta.

O Zoomarine, que este ano comemora 30 anos, considera ser este o "melhor presente". Entretanto, a Mia demonstra ser uma mãe atenta e qualquer dia a pequena fêmea já estará mais autónoma e talvez comece a aventurar-se a nadar sozinha.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de