Região de Lisboa com poucos recuos e muitos testes

Duarte Cordeiro, coordenador do Governo para o combate à pandemia na região de Lisboa e Vale do Tejo, diz à TSF que os testes têm de aumentar, para conter os surtos.

O secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, que coordena o combate à pandemia na região de Lisboa e Vale do Tejo, diz que o número de concelhos na Grande Lisboa onde os números estão na zona de risco são poucos.

Ou seja, não serão muitos os concelhos que, potencialmente, podem recuar nas medidas de desconfinamento já esta semana.

Duarte Cordeiro lembra que as regras atuais ditam um retrocesso se um concelho ultrapassar os 240 casos novos por cem mil habitantes em 14 dias, durante duas semanas, ou a manutenção das regras, caso o limite de 120 casos seja repetido em duas semanas.

Os concelhos que estão em risco são Lisboa, Sintra, Amadora, Cascais e Odivelas, nesta região.

A não ser que a situação melhore, nos próximos dias estes serão os concelhos-chave para as decisões do Governo, esta semana.

Na Tarde TSF, o secretário de Estado Duarte Cordeiro lembrou que a generalidade dos surtos detetados tiveram origem familiar ou escolar, incluindo as festas familiares com polo de contágio mais grave.

O Governo tem conversado com os autarcas da região para afinar estratégias, mas o secretário de Estado coloca muitas fichas na decisão de testar os participantes em eventos de maior dimensão, que aguardam a emissão de uma norma da Direção-Geral da Saúde (DGS).

A norma foi anunciada pelo Executivo no último Conselho de Ministros, mas, até agora, a DGS ainda não a publicou.

Apesar de confirmar que todos os planos de testagem anunciados foram lançados, e a positividade tem sido baixa, Duarte Cordeiro reconheceu que, sendo voluntária a adesão, o alcance dos testes só chega a quem tem comportamentos mais preventivos.

Sobre a possibilidade de usar internamente o certificado digital europeu, que entra em vigor, oficialmente, a 1 de julho, o governante admite, teoricamente, a utilidade, mas não quer ser definitivo.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de