Regime não presencial. Colégios privados podem funcionar na véspera dos feriados

Nos dias 30 de novembro e 7 de dezembro as escolas vão parar, com exceção dos privados, que podem optar por oferecer atividade letiva aos alunos a partir de casa.

As escolas públicas não vão funcionar nos dias 30 de novembro e 7 de dezembro, vésperas de feriados, mas essa realidade pode não se aplicar no setor privado da educação.

Rodrigo Queiroz e Melo, diretor executivo da Associação de Estabelecimentos de Ensino Particular e Cooperativo, adianta, em declarações à TSF, que a escolha de ter ou não aulas é do estabelecimento. No entanto, será garantida a redução da circulação de pessoas, já que as aulas, a realizar-se, serão em regime não presencial.

"Nas vésperas de feriado, como em todo o país, os colégios vão estar fechados ao público", garante o responsável da Associação de Estabelecimentos de Ensino Particular e Cooperativo, que faz saber que "alguns colégios optaram por nesses dias oferecer ensino não presencial aos seus alunos".

As atividades justificam-se "seja porque havia trabalhos a realizar, seja porque havia algumas avaliações", e Rodrigo Queiroz e Melo esclarece que as regras não serão violadas pelos privados. "Desde que seja não presencial, podem tomar essa opção. Neste momento, o país vive uma situação muito difícil de saúde pública, e, por isso, não seria aceitável que alguma instituição estivesse fora deste esforço."

LEIA AQUI TUDO SOBRE O NOVO CORONAVÍRUS

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de