Regionalização em debate na TSF, risco de conflito armado na Europa e outros destaques

Esta quarta-feira decorreu a conferência "Regionalização: agora ou nunca", organizada pela TSF, JN e DN, onde os partidos políticos e vários especialistas foram convidados a debater o tema.

Esta quarta-feira foi dia da conferência "Regionalização: agora ou nunca", organizada pela TSF, JN e DN. O PS, representado pelo secretário-geral adjunto José Luís Carneiro, diz ter "compromissos claros" sobre a regionalização, enquanto o PSD quer consenso e calendário, como defendeu o coordenador da Agricultura do Conselho Estratégico Nacional, Arlindo Cunha.

Já o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, afirma que a regionalização é um "tema central há muito tempo". Marcelo também considera que o tema se tornou "mais controverso e polémico" nas últimas décadas, mas refere que "está nas mãos dos políticos transformar aquilo que há de teórico em compreensível para todos os portugueses".

Lá fora, o secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO), Jens Stoltenberg, considera que há um "sério risco de um novo conflito armado na Europa", por causa das investidas da Rússia sobre a Ucrânia.

Voltando ao Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa tem "esperança" que os portugueses adiram ao voto antecipado. À margem da conferência "Regionalização: agora ou nunca", o Presidente da República espera que as conversas entre os partidos e o Governo, bem como o parecer da PGR facilitem o voto.

A Confederação dos Agricultores de Portugal organizou uma mesa redonda para os partidos debaterem os programas eleitorais. Contudo, deixaram de fora o PAN e o Bloco de Esquerda por serem "anti-agricultura" e "anti-mundo rural".

No boletim epidemiológico desta quarta-feira, a Direção-Geral da Saúde contabilizou um novo máximo de casos diários: 40.945. Registaram-se ainda mais 20 mortes, bem como 71 novos internados em enfermarias e 14 em unidades de cuidados intensivos.

O pedido de extradição do ex-presidente do Banco Privado Português (BPP) João Rendeiro foi recebido pelas autoridades sul-africanas. O documento "foi instruído em português com toda a documentação relevante e legalmente exigida e acompanhado de tradução", de acordo com a PGR.

Para o final ficou um momento insólito no futebol. O árbitro do encontro entre a Tunísia e o Mali, a contar para a fase de grupos da Taça das Nações Africanas, apitou para o final do jogo duas vezes antes de estarem completados os 90 minutos. A primeira aconteceu ao minuto 85 e a segunda, e definitiva, aconteceu quando faltavam cerca de 15 segundos para terminar o tempo regulamentar.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de