Renovação do estado de emergência a caminho, problemas da Johnson & Johnson e outros destaques TSF

Depois de ouvir os partidos políticos, Marcelo Rebelo de Sousa enviou o projeto para a renovação do estado de emergência para o Parlamento.

Mais um estado de emergência a caminho. Marcelo Rebelo de Sousa já enviou para o Parlamento o projeto para a renovação do estado de emergência, que deverá manter-se por mais 15 dias, até 30 de abril. A TSF sabe que Marcelo vai falar ao país amanhã, às 20h00.

Depois das polémicas com a AstraZeneca, agora surgem problemas com a Johnson & Johnson. A farmacêutica vai adiar as entregas da vacina na Europa, depois de a FDA, que regula os medicamentos norte-americanos, ter pedido esta terça-feira a suspensão imediata da toma da vacina da Johnson & Johnson nos EUA. Isto porque foram detetados coágulos sanguíneos em seis mulheres nos dias a seguir à inoculação com este fármaco.

Esta terça-feira fica também marcada por mais uma reunião dos partidos políticos com o Presidente da República sobre a renovação do estado de emergência. Todos concordam que o plano de desconfinamento deve avançar: Marcelo incluído. Depois da reunião no Infarmed, o Governo ficou com luz verde para reabrir o ensino secundário e universitário, mas com cautelas quanto aos 22 concelhos com uma taxa de incidência elevada.

Está confirmado: o estacionamento em Lisboa vai mesmo voltar a ser pago - e tarifado pela Empresa Municipal de Mobilidade e Estacionamento de Lisboa (EMEL) - a partir desta quarta-feira, 14 de abril. A proposta foi aprovada esta tarde em Assembleia Municipal.

O Tribunal da Concorrência condenou a NOS Comunicações a uma coima de 1,35 milhões de euros, por incumprimento das normas que permitem aos clientes cessarem os contratos, e ao pagamento de 250 euros de compensação a cada um dos lesados. Ficaram provadas a prática dolosa de 80 contraordenações e negligente de outras 19.

Viajando, por fim, até aos Estados Unidos. O presidente Joe Biden planeia anunciar ainda esta semana a retirada das tropas norte-americanas do Afeganistão até ao vigésimo aniversário dos ataques terroristas de 11 de Setembro. Segundo as autoridades norte-americanas há cerca de 2500 soldados no Afeganistão.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de