Revelado parecer sobre eleitores em isolamento, Merkel diz não a Guterres e outros destaques TSF

A ministra da Administração Interna anunciou esta quarta-feira que os eleitores em isolamento vão poder sair de casa para votar nas eleições legislativas no final do mês.

O conselho consultivo da Procuradoria-Geral da República admite a existência de "regras" distintas para os eleitores em isolamento no momento de ir às urnas no dia 30 de janeiro. Segundo o documento, as autoridades devem fazer uma avaliação de risco de acordo com "critérios técnicos e científicos". Consulte o parecer na íntegra.

As pessoas em isolamento vão mesmo poder ir votar nas eleições legislativas. A ministra da Administração Interna, Francisca Van Dunem, anunciou os resultados do parecer pedido à PGR e sugeriu que esses eleitores tenham um horário específico.

Lá fora, o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, propôs a Angela Merkel que assumisse a presidência do Conselho Consultivo para os Bens Públicos Globais, um órgão recentemente criado com o qual pretende contribuir para a transformação da ONU, mas a ex-chanceler alemã rejeitou.

Portugal voltou a registar um número máximo de novos casos de Covid-19. Esta quarta-feira, a DGS contabilizou mais 52.549 e 33 mortes. A incidência voltou a subir, já o índice de transmissibilidade (Rt) desceu para 1,11.

O pneumologista Filipe Froes concorda com a abertura do dia das eleições para os eleitores em isolamento, mas lembra que as pessoas devem fazer tudo para evitar o risco de novas infeções. Filipe Froes pede "cumprimento rigoroso das regras, nomeadamente o uso de máscara".

O Conselho de Administração do Hospital de Beja reuniu-se com os doze chefes de equipa das urgências demissionários. À TSF o diretor clínico do hospital, José Aníbal Soares, garante que ninguém reverteu a decisão.

A seleção nacional estreou-se esta quarta-feira no Europeu2022 de futsal com uma vitória por 4-2 sobre a Sérvia. Pauleta, Pany Varela, Afonso Jesus e Tomás Paçó marcaram os golos lusos.

Já o futebolista internacional brasileiro Robinho foi condenado a nove anos de prisão por violação coletiva a uma jovem em Itália. A condenação surge na terceira e última instância da Justiça italiana pelo crime cometido em 2013.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de