Sair à rua sem máscara. França antecipa terceira fase de desconfinamento de dez dias

Nos espaços exteriores com ajuntamentos de pessoas, em mercados, em fila de espera ou em estádio o uso da máscara vai manter-se obrigatório.

Desde esta quinta-feira, os franceses podem voltar a sair à rua sem máscara. O executivo francês antecipou a terceira fase de desconfinamento e a partir de domingo é levantado o recolher obrigatório às 23h00.

A França não esperou pela data prevista para levantar as últimas medidas restritivas à propagação da Covid-19, previstas para dia 30 de junho, ao entrar na terceira fase de desconfinamento esta quinta-feira. "Vivemos um momento feliz a caminho do regresso à vida normal'', afirmou o primeiro-ministro francês, Jean Castex.

O executivo de Emmanuel Macron avaliou a situação sanitária em França e "os resultados estão à vista: não existe nenhuma dinâmica preocupante da epidemia e o número de infeções decresce todos os dias", anunciou o chefe do executivo.

"Decidimos levantar o uso obrigatório da máscara na rua. Contudo, a máscara continua a ser obrigatória em espaços fechados, nomeadamente, no trabalho, em lojas e transportes", anunciou Jean Castex à saída de um Conselho de Ministros.

No entanto, haverá alguns asteriscos ao levantamento destas medidas, nos espaços exteriores com ajuntamentos de pessoas, em mercados, em fila de espera ou em estádio o uso da máscara vai manter-se obrigatório. "É preciso ficar vigilante porque a França está num bom caminho", lembrou Jean Castex.

"Quanto ao recolher obrigatório, em vigor desde 19 de Maio às 23h00, vai ser levantado este domingo. É uma medida que já não se justifica", adiantou o primeiro-ministro francês. Nos últimos dias, as autoridades francês foram obrigadas a dispersar grupos de centenas de jovens nas grandes cidades.

Os franceses ansiavam por este momento; poder respirar e sair à rua sem máscara. "Usamos máscaras nos transportes, mas na rua não é possível está sol e demasiado calor", afirma Francine.

Dispersar os clientes de bares e restaurantes antes das 23h00, como aconteceu na terça-feira depois do jogo França-Alemanha passa a ser, a partir domingo, "apenas uma má lembrança".

"Esta medida é muito boa: vai permitir-nos continuar a transmitir os jogos do Euro2020 e ter mais clientes. É mais convivial. Sem o recolher obrigatório, as pessoas ficam menos preocupadas. A partir de segunda-feira abrimos até às duas da manhã e vamos festejar: e viva o Euro e a França, sobretudo", mostrou com alívio o proprietário de um restaurante.

O executivo francês garantiu esta quarta-feira já ter ultrapassado a terceira vaga de Covid-19. Com 30 milhões de vacinas administradas, o executivo de Emmanuel Macron quer atingir um novo patamar: 35 milhões de pessoas com as duas doses de vacinas contra a Covid 19 até ao final deste verão, em Agosto.

Este domingo, os franceses são chamados às urnas para votar nas eleições distritais e provinciais, chamadas departamentais e regionais em França. As sondagens do instituto Ifop apontam uma queda significativa do partido no poder A República em Marcha e frente ao partido de extrema-direita União Nacional que poderá conquistar, pela primeira vez na história, uma das 18 regiões administrativas da França, a região de Provença-Alpes-Costa Azul (PACA).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de