Polémica com Cristina Gatões. As explicações do SEF

Serviço de Estrangeiros e Fronteiras explica que ex-diretora vai ajudar a reestruturar os vistos gold, mas não foi nomeada para qualquer cargo.

O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) nega que Cristina Gatões tenha sido contratada ou nomeada para qualquer cargo na instituição. Em comunicado, o SEF afirma que também não corresponde à verdade que a antiga diretora esteja a assessorar a direção nacional no quadro de reestruturação.

"Ao contrário do que vem sendo referido, a Inspetora Coordenadora Superior Cristina Gatões não foi contratada ou nomeada para qualquer cargo. Não corresponde igualmente à verdade que a Inspetora Coordenadora Superior Cristina Gatões esteja a assessorar a Direção Nacional no quadro da reestruturação do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras", pode ler-se na nota enviada pelo SEF.

No entanto, o texto confirma que Cristina Gatões é quadro do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras e, por decisão do diretor nacional, integra, de facto, um grupo de trabalho interno que analisa e vai propor medidas no âmbito do regime de autorização de residência para atividade de investimento, os chamados vistos gold.

"A Inspetora Coordenadora Superior Cristina Gatões é quadro do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, tendo exercido funções como Diretora Nacional até ao dia 9 de dezembro de 2020. Por decisão do Diretor Nacional do SEF, a Inspetora Coordenadora Superior integra um grupo de trabalho interno que analisa e vai propor medidas no âmbito do regime de autorização de residência para atividade de investimento", acrescenta o comunicado.

Segundo a edição do Diário de Notícias desta terça-feira, a ex-diretora do SEF teria sido nomeada para assessorar a reestruturação do regime de vistos gold, citando um despacho interno do organismo de acordo com o qual a nomeação visa "analisar soluções que assegurem maior eficácia no âmbito da permanência em Portugal dos titulares de residência para atividade de investimento".

Perante esta notícia, o BE avançou com duas iniciativas: uma pergunta dirigida ao Governo e o requerimento para uma audição do ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de