Sindicatos do setor ferroviário convocam concentração nacional para 6 de julho em Lisboa

Os sindicatos reclamam a valorização salarial dos trabalhadores da CP, da IP,SA, IP-Telecom, IP-Património e e IP-Engenharia, alegando que as administrações das empresas não estão a cumprir a revisão das remunerações.

Os sindicatos do setor ferroviário convocaram uma concentração nacional para o dia 6 de julho, às 10h30, em Lisboa, para reivindicar "um aumento geral dos salários urgente", anunciaram no sábado as estruturas sindicais.

A convocação foi feita pelo Sindicato Nacional dos Trabalhadores do Setor Ferroviário (SNTSF) e pela Federação dos Sindicatos dos Transportes e Comunicações (Fectrans), que, no quadro desta luta, marcaram uma greve para a passada sexta-feira, dos trabalhadores da CP e da Infraestruturas de Portugal (IP).

No comunicado conjunto hoje divulgado, os sindicatos reclamam a valorização salarial dos trabalhadores da CP, da IP,SA, IP-Telecom, IP-Património e e IP-Engenharia, alegando que as administrações das empresas não estão a cumprir a revisão das remunerações.

"Aumentar os trabalhadores é urgente, para combater os baixos salários e inverter a aproximação do Salário Mínimo Nacional, que se agravará se o Governo continuar a perpetuar esta situação", sustentam, em comunicado, salientando ser este o objetivo da concentração nacional, cujo lugar exato está ainda por definir.

José Manuel Oliveira, coordenador da Fectrans, disse hoje à agência Lusa que, até ao momento, os trabalhadores não receberam qualquer resposta às suas reivindicações, "aguardando algum desenvolvimento nos próximos dias".

A CP tinha alertado para possíveis perturbações em todos os serviços até hoje.

O tribunal arbitral do Conselho Económico e Social (CES) não fixou serviços mínimos na greve de sexta-feira, considerando que "o impacto na mobilidade das pessoas não é muito elevado".

Esta paralisação seguiu-se à greve dos trabalhadores da IP que se realizou em 02 de junho e que provocou perturbações significativas na circulação de comboios.

Na CP, decorreu entre 06 e 08 de junho uma greve de três dias dos revisores e trabalhadores das bilheteiras que registou, também, impacto na circulação de comboios.

A Fectrans tinha promovido uma greve idêntica em 27 de maio.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de