Sócrates passa a apresentar-se a cada 15 dias na esquadra, morreu o padre Vaz Pinto e outros destaques TSF

Em destaque nesta sexta-feira está também o Congresso do Partido Social Democrata (PSD) que arrancou esta manhã no Porto. Perguntas como "quem fará parte dos órgãos do partido e que oposição interna poderá ter o novo líder?" serão respondidas durante os três dias de congresso.

A manhã desta sexta-feira ficou marcada com a notícia do agravamento da medida de José Sócrates que terá de se apresentar na esquadra de 15 em 15 dias, para além do Termo de Identidade e Residência (TIR), no âmbito do processo separado da Operação Marquês. A decisão anunciada esta sexta-feira aconteceu depois da divulgação de viagens ao Brasil pelo antigo governante por um período superior a cinco dias sem comunicar ao tribunal. O agravamento das medidas foi pedido pelo Ministério Público.

O país também foi abalado esta manhã pela morte do padre Vaz Pinto que faleceu aos 80 anos no Hospital Santa Maria, em Lisboa. António Vaz Pinto, jesuíta e Alto Comissário para as Migrações e Minorias Étnicas entre os anos 2002 e 2005, estava internado desde 8 de junho, devido a um tumor pulmonar. O comunicado avançado pelos jesuítas refere que o estado de saúde do padre Vaz Pinto "já era grave e três dias depois acabou por ser encaminhado de Évora, para um hospital em Lisboa, tendo o seu estado agravado muito rapidamente".

O 40.º Congresso do PSD que decorrerá entre esta sexta-feira e domingo, no Pavilhão Rosa Mota, na cidade invicta, também é assunto do dia. Para o politólogo António Costa Pinto, a afirmação de Luís Montenegro enquanto líder, a definição de como o PSD pode assumir-se enquanto maior partido da oposição e, finalmente, a pacificação são os grandes objetivos do congresso deste fim de semana.

Com Luís Montenegro a tomar a liderança do partido, o ex-secretário de estado, António Leitão Amaro, em declarações à TSF, não tem dúvidas que Montenegro "triunfará", porque o partido "se vai recriar, regenerar e oferecer aos portugueses uma alternativa reformista".

Sobre a crise que se está a sentir no Governo, em declarações à TSF esta manhã, o presidente da Câmara Municipal de Aveiro considerou a decisão de António Costa de não demitir Pedro Nuno Santos "um preceito de um primeiro-ministro que acabou com a responsabilidade política em Portugal".

Também esta sexta-feira foi anunciada pelo Governo o prolongamento das medidas de mitigação do aumento do preço dos combustíveis para os meses de julho e agosto, através de uma redução do IVA dos 23% para os 13% sobre os produtos petrolíferos.

No "Em Alta Voz" desta sexta-feira, a presidente da Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento, Rita Faden falou da situação interna dos Estados Unidos da América e diz que acredita que a união entre americanos e europeus se vai manter, mas refere que está na altura do velho continente assumir maiores responsabilidades na sua própria defesa.

Por fim, está ainda em destaque o Postal do Dia, da autoria de Luís Osório, sobre a polémica com o novo aeroporto de Lisboa: "A 'loucura' de Pedro Nuno Santos matou-lhe o futuro"

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de