Gaia vai ter videovigilância já no próximo ano

A Câmara de Vila Nova de Gaia também vai pedir ao Ministério da Administração Interna a localização na beira-rio de uma esquadra turística.

A Câmara de Vila Nova de Gaia vai instalar sistemas de videovigilância no Centro Histórico e em espaços com maior risco de segurança, um projeto que custa cerca 400 mil euros, revelou esta terça-feira o presidente da autarquia.

O processo vai avançar no primeiro trimestre de 2020, avançou Eduardo Vítor Rodrigues na sessão de apresentação do orçamento e plano para o próximo ano, mas o autarca procurou salvaguardar que "não há razões efetivas para de imediato intervir".

"Não temos nenhum índice de criminalidade suplementar, nem temos nenhum caso concreto, mas acho que todos percebemos que a segurança não passa por esperar pelos acidentes ou pelas ocorrências para intervir", disse o autarca socialista.

Eduardo Vítor Rodrigues analisou que no Centro Histórico "já há" e "deverá aumentar" a "proliferação de pessoas", razão pela qual esta autarquia do distrito do Porto decidiu avançar com videovigilância que "garante uma tranquilidade e uma segurança subjetiva".

A par deste projeto, a Câmara de Vila Nova de Gaia também vai pedir ao Ministério da Administração Interna a localização na beira-rio de uma esquadra turística.

"Terá um lado informativo, mas também a componente de segurança associada", explicou Eduardo Vítor Rodrigues já à margem da apresentação de um orçamento de 199,8 milhões de euros para 2020.

Este tema está inscrito no eixo "Criar", que contém outras prioridades e apostas como "reforçar o policiamento de proximidade nas escolas e nas urbanizações sociais", enquanto o eixo "Promover", entre outras matérias, fala em "renovar e reforçar o quadro de pessoal do município".

A este propósito, o presidente da Câmara de Gaia contou que "há mais de 15 anos não há concursos de entrada de pessoas na autarquia", isto porque, entre outros fatores, esta violava o limite de endividamento e não podia contratar, sendo que saíram 100 pessoas por ano para reforma.

Assim, para colmatar esta área, Gaia tem em curso ou para abrir concursos abertos para 79 técnicos superiores, 46 assistentes técnicos, 33 assistentes operacionais e 15 cargos de direção, somando-se 22 vagas para os Bombeiros Sapadores e a Polícia Municipal.

Na apresentação desta terça-feira, o autarca também prometeu "não perder de vista o quadro comunitário", lembrando que quando o 'overbooking' surgir será, disse, para "municípios que já tenham projetos preparados e maturados".

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados