Substância psicadélica tem "efeitos robustos e duradouros" no tratamento de doenças mentais

Existem estudos que têm vindo a demonstrar as várias potencialidades das substâncias psicadélicas.

Há psicólogos e terapeutas que apontam a psilocibina como a solução para alguns problemas mentais. O tratamento desse tipo de doenças esteve em discussão numa conferência organizada pela Fundação Champalimaud e que juntou especialistas nacionais e internacionais em torno das vantagens e desvantagens da aplicação terapêutica das substâncias psicadélicas.

Existem estudos que têm vindo a demonstrar as várias potencialidades das substâncias psicadélicas. Carolina Seybert, psicóloga clínica e investigadora da Unidade de Neuropsiquiatria do Centro Clínico Champalimaud, revela que o tratamento da depressão pode ser revolucionado com a aplicação terapêutica da psilocibina, uma substância psicadélica que "tem efeitos antidepressivos robustos e duradouros".

No entanto, o investigador norte-americano William Richards alerta que a aplicação deste tipo de terapêuticas acarreta alguns riscos. As substâncias têm de ser tomadas sob vigilância, fator que diminui a probabilidade de acontecerem "experiências negativas, como pânico, paranoias e confusão", explica.

Por essa razão, este tipo de tratamento tem de ser vigiado e programado por, pelo menos, três terapeutas e médicos, já que, como sublinha Carolina Seybert, "a segurança está em primeiro lugar". A investigadora defende que as sessões terapêuticas com psilocibina devem ser encaradas como uma viagem: "Precisamos de um mapa para sabermos como chegar ao destino, para planearmos todas as paragens e com instruções claras de como proceder quando ocorrer algum problema."

Apesar dos avanços na investigação das potencialidades das substâncias psicadélicas no tratamento de problemas do foro mental, o foco imediato é continuar a investigar para que um dia possa ser aprovada a massificação deste tipo de terapêuticas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de