Suspeito de matar adepto do FC Porto fica em prisão preventiva

Advogada do arguido de 19 anos garante que este "prestou declarações e contou a sua versão dos factos".

O suspeito da morte de um jovem durante festejos do título de campeão nacional do FC Porto, na madrugada de domingo, ficou esta terça-feira em prisão preventiva, disse à agência Lusa fonte judicial.

Renato Gonçalves, de 19 anos, detido na noite de segunda-feira pela Polícia Judiciária (PJ), foi presente esta tarde a primeiro interrogatório no Tribunal de Instrução Criminal (TIC) do Porto, que determinou a aplicação da medida de coação mais gravosa: prisão preventiva.

À saída do TIC do Porto, em declarações aos jornalistas, Poliana Rodrigues, advogada do arguido, confirmou a aplicação da medida de coação de prisão preventiva, acrescentando que o seu constituinte "prestou declarações e contou a sua versão dos factos".

A morte de Igor Silva, de 26 anos, durante os festejos do título de campeão nacional do FC Porto, junto ao estádio do Dragão, deveu-se a "questões pessoais" entre a vítima e o agressor, adiantou anteriormente à Lusa fonte policial.

Fonte ligada à investigação explicou que "em causa esteve uma questão pessoal, desavenças, entre a vítima, a família do arguido e o próprio arguido", de 19 anos, detido na noite de segunda-feira pela Polícia Judiciária (PJ).

A mesma fonte esclareceu que o episódio de violência "não se tratou de disputa de territórios, nem de guerras entre gangues armados, nem teve a ver com futebol", acrescentando que, durante as agressões, não foram usadas armas de fogo, apenas a faca que o arguido usou para esfaquear mortalmente a vítima.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de