Caos na Madeira. Voos cancelados até manhã de sexta-feira

O arquipélago da Madeira está sob aviso laranja devido ao vento forte.

O vento forte levou ao cancelamento de todos os voos desta quinta-feira de e para a Madeira. Os cancelamentos começaram esta quarta-feira e vão prolongar-se até sexta-feira de manhã, até porque o alerta laranja da meteorologia, o segundo mais grave, se mantém.

O vento forte que mantém o arquipélago debaixo de um aviso laranja até às 15h00 foi emitido pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA). Em declarações à TSF, a meteorologista Maria João Frada alerta, no entanto, que o aviso deverá "ser prolongado até ao final do dia de hoje" e que na sexta-feira deverá vigorar um "aviso amarelo".

"Pelo menos até ao final do dia de hoje, prevê-se uma situação de vento forte sobre a ilha da Madeira. As rajadas atingem entre os 80km/hora e os 90 km/hora, e, nas zonas montanhosas chegam aos 130 km/hora", adiantou a meteorologista.

A repórter do DN Madeira Andreína Ferreira relatou à TSF a existência de muitos passageiros retidos no aeroporto e e revoltados com o tempo de espera. Muitas pessoas queixam-se de que não foram sequer avisadas pelas companhias aéreas e que se depararam com o cancelamento dos voos na chegada ao aeroporto.

Os passageiros aguardam, neste momento, mais informações sobre a remarcação dos voos e o local onde vão ficar alojados durante a espera.

Numa nota enviada à TSF, a ANA - Aeroportos de Portugal garante que estão a ser tomadas medidas " de forma a minimizar os constrangimentos para os passageiros durante as irregularidades".

"Por parte do aeroporto, são asseguradas as condições no terminal, nomeadamente a restauração e logística de serviços. A assistência e informação aos passageiros estão a ser prestadas pelas companhias aéreas, ou seus representantes, como lhes compete", declarou.

As más condições atmosféricas atingem ainda o mar e a Capitania do Porto do Funchal emitiu igualmente um aviso de agitação marítima forte até às 18h00 horas de quinta-feira, aconselhando as embarcações a regressar aos portos de abrigo.

Em declarações à TSF, o comandante Guerreiro Cardoso, da capitania do porto do Funchal, pede um "cuidado especial" aos pescadores, aos operadores turísticos e a quem faz atividades náuticas recreativas. "Tenham maior atenção, de modo a evitar situações de risco", apelou.

O comandante da capitania do porto do Funchal pede também "um cuidado redobrado" a quem circula "junto da orla costeira", por causa da agitação marítima.

A Porto Santo Line, na sua página de Internet, informa também ter cancelado as viagens de quinta-feira do Lobo Marinho para a ilha do Porto Santo devido "às más condições meteorológicas que põem em causa a segurança do navio e dos seus passageiros".

O primeiro movimento de 'turnaround' previsto para esta quinta-feira, com um navio no porto do Funchal, foi também cancelado devido às más condições atmosféricas, revelou a Administração dos Portos da Madeira (APRAM).

Em comunicado, a APRAM indicou que o operador TUI e o comandante do navio "Mein Schiff Herz" cancelaram a operação de 'turnaround' (navios com partida e chegada ao Funchal, e não apenas a fazer escala), tendo antecipado a partida do navio.

Neste tipo de movimentos, o que a APRAM tem previsto é o "Mein Schiff Herz" acostar preferencialmente no cais 3 e ficar na Madeira 48 horas, devendo chegar às quartas-feiras, às 14h00, e sair às sextas, à mesma hora.

Esta operação estava concertada com a chegada de voos diretos do mercado alemão das quintas-feiras, embora pudessem existir passageiros que chegariam individualmente e que poderiam ficar na Madeira uns dias, antes do embarque ou após o desembarque.

O Instituto das Florestas e Conservação da Natureza emitiu um alerta para a não realização de percursos na natureza, enquanto durar o aviso.

O Serviço Regional de Proteção Civil emitiu também um aviso a recomendar às pessoas que fechem as portas e janelas, evitem viajar nas zonas afetadas pelo aviso meteorológico, não circulem por zonas com prédios degradados e prestem atenção às estruturas montadas (andaimes, toldos, tendas, telhados).

O secretário regional do Turismo, Eduardo Jesus, fala de uma "situação extraordinária", que o está também a reter em Lisboa, sem conseguir dirigir-se para a Madeira. "Temos um plano de contingência que envolve a ilha de Porto Santo. Neste caso em particular nem a isso podemos recorrer porque o navio que faz a ligação entre a Madeira e o Porto Santo também não faz hoje a ligação por causa destas condições adversas de vento", contou à TSF.

De acordo com Eduardo Jesus, o "vento é tão forte que não dá margem para operações". O plano de contingência é da responsabilidade da ANA - Aeroportos de Portugal, refere ainda.

* Notícia atualizada às 14h54

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de