Circulação dos portugueses já atingiu níveis pré-pandemia neste desconfinamento

A PSE, uma empresa especializada no estudo da mobilidade dos portugueses, assinala que, no fim de semana, a mobilidade atingiu níveis 5% a 6% acima da normalidade pré-pandemia, e que é expectável que nos próximos dias se possa atingir valores de mobilidade entre os 70% e os 72%, o que compara com os números que antecedem a Covid-19.

Nesta terceira fase do desconfinamento, os portugueses já estão a sair de casa praticamente com a mesma intensidade que nos tempos pré-pandemia. É esta a conclusão da PSE, uma empresa especializada no estudo da mobilidade dos portugueses.

Nuno Santos, responsável por este estudo, revela que, no último fim de semana, houve gente na rua como já não se via desde o final de outubro de 2020. "Já neste fim de semana, houve um aumento de mobilidade muitíssimo significativo", garante, remontando ao fim de semana de 24 e 25 de outubro para encontrar tamanha movimentação.

No sábado e domingo, a mobilidade atingiu níveis 5% a 6% acima da normalidade pré-pandemia, e também o perfil da circulação se viu alterado. "As pessoas, agora com o levantamento das restrições, neste fim de semana, fizeram maiores deslocações para outros destinos e prolongaram as suas saídas de casa ao longo de todo o dia", preconiza Nuno Santos.

O autor do estudo nota que já se tinha registado um aumento de procura das zonas de praia desde que as temperaturas aumentaram e os dias ficaram mais solarengos.

Na segunda-feira, primeiro dia da nova fase de desconfinamento, os níveis de mobilidade atingiram os 70%, comparáveis com a fase pré-pandemia. "Tanto na sexta-feira passada como ontem, já o terceiro dia da terceira fase do desconfinamento, nós tivemos cerca de 70% da população a circular."

Em comparação com os primeiros dias do ano, ainda antes do confinamento (66% das pessoas a movimentarem-se no exterior), houve agora maior fluxo. "Estamos a 5% do que era a quantidade de pessoas antes da pandemia. O nosso índice de mobilidade significa que tivemos ontem 102% do que é a mobilidade normal."

Nuno Santos acredita que esta é já a mobilidade normal, resultado da crise sanitária. "Este é efetivamente o novo normal. A manter-se o quadro social que temos atualmente, em que temos teletrabalho permanentemente, o que era uma realidade que não existia antes da pandemia, nem tão-pouco o ensino à distância, que neste momento é utilizado por uma boa quantidade de instituições, temos sempre 5% a 6% da população que pode estar em casa", analisa. No entanto, é expectável que nos próximos dias se possa atingir valores de mobilidade entre os 70% e os 72%, o que compara com os números que antecedem a pandemia.

LEIA TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de