Pescadores que estavam isolados em barco em Viana autorizados a sair

Os nove homens estiveram em isolamento a bordo de uma embarcação de pesca costeira, atracada no porto de Viana do Castelo, desde o dia 19, após quatro casos de infeção provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2. Os mais recentes testes PCR deram agora negativo para a Covid-19.

Já abandonaram o barco os pescadores que estavam retidos em Viana do Castelo desde o dia 19 de dezembro, por causa de um surto de Covid-19, depois de receberem autorização para sair da embarcação

Os nove pescadores que estavam desde o passado dia 19 em isolamento profilático a bordo de um barco em Viana do Castelo tiveram esta manhã autorização para sair.

Os pescadores - seis filipinos e três portugueses - foram novamente sujeitos a testes PCR na quarta-feira. Os testes deram negativo, incluindo de dois homens que tinham sido infetados.

Os nove homens estiveram em isolamento a bordo da embarcação de pesca costeira, dotada de uma única instalação sanitária, atracada no porto de Viana do Castelo, desde o dia 19, após quatro casos de infeção provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2.

.Na segunda-feira, após a confirmação do terceiro caso de infeção a bordo, Luís Delgado reconheceu que "as condições da embarcação não são as melhores", mas defendeu que "em termos de saúde pública" aquela solução "é a mais indicada", neste caso.

"Se os tripulantes forem para as suas casas mais se propaga a doença", sublinhou, nessa altura.

Na segunda-feira, o capitão de porto e comandante da Polícia Marítima de Viana do Castelo, Silva Lampreia, explicou que o caso "está a ser acompanhado pelas autoridades locais de saúde e pelo armador da embarcação desde o dia 19, altura em que esta atracou em Viana do Castelo".

O responsável referiu que "o primeiro caso de Covid-19 foi confirmado no dia 16, ainda a embarcação de pesca de Viana do Castelo navegava a 430 milhas a oeste do porto de Viana do Castelo".

Segundo Silva Lampreia, "o pescador infetado acabaria por ser retirado, no dia 18, por meios aéreos, acionados pelo CODU Mar, para um hospital do Porto, face ao agravamento das suas condições de saúde, tendo, entretanto, recebido alta médica e sido enviado para casa do armador para recuperar da doença".

LEIA AQUI TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de