Tiros para o ar e tentativas de abalroamento. Lisboa foi palco de perseguição no Tejo

Holandês roubou, sem qualquer motivo aparente, um barco de 12 metros do Porto de Lisboa.

O rio Tejo, em plena cidade de Lisboa, assistiu esta terça-feira a uma perseguição policial, a alta velocidade, entre Algés e o Terreiro do Paço, com tiros para o ar e até tentativas de abalroamento.

O caso aconteceu ao início da noite quando um holandês roubou um barco do Porto de Lisboa, parado em Algés, e fugiu - um barco com cerca de 12 metros usado pelos pilotos da barra para irem até aos grandes navios que entram no estuário.

O capitão do Porto de Lisboa e comandante local da Polícia Marítima, Coelho Gil, explica à TSF que a Polícia Marítima foi chamada e a perseguição só acabou no centro da cidade.

"A embarcação seguia a alta velocidade, sempre com manobras evasivas, tentou abalroar a embarcação da Polícia Marítima, fizemos alguns disparos para o ar e avisos com altifalante e sinais de luzes, etc., para tentar que o indivíduo parasse, mas nunca seguiu as instruções e seguiu sempre a alta velocidade", detalha o responsável.

O caso só acabou, explica Coelho Gil, quando o barco do Porto de Lisboa furtado foi levado pelo homem para a margem Norte que suavemente o parou no centro de Lisboa, entre o Cais das Colunas e o Cais do Sodré, para sair pelo seu próprio pé para terra, onde acabaria detido por um agente da Polícia Municipal que assistia, em terra, a todo aquele aparato.

O comandante da Polícia Marítima de Lisboa explica que ainda não foi possível perceber o que levou este holandês, que vive em Portugal há dois anos, a roubar o barco, sendo no entanto certo que sabia o que estava a fazer pois a zona onde entrou em Algés estava vedada e é preciso alguns conhecimentos para navegar uma embarcação deste tipo.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de