Trabalhadores dos Silos de Leixões em greve a partir da meia-noite

Sindicato acusa a empresa Silopor de não querer discutir aumentos salariais.

Os trabalhadores dos Silos de Leixões vão fazer greve a partir da meia-noite e até segunda-feira. A empresa propôs aumentos entre os 40 e 60 euros no ordenado, mas os trabalhadores afirmam que estiveram 12 anos sem aumentos e pedem 200 euros.

Uma reivindicação antiga, segundo José Eduardo Andrade, dirigente sindical do Sindicato dos Trabalhadores da Agricultura e Indústrias de Alimentação, Bebidas e Tabacos de Portugal (SINTAB), que acusa a empresa Silopor de não querer discutir aumentos salariais nem tão pouco aplicar a contratação coletiva. A greve deverá afetar as cargas e descargas de cereais, nomeadamente o abastecimento à indústria alimentar, de moagens e panificação.

"Deixa de haver descargas de navios de cereais e cargas de camiões. Esperamos que isto aconteça e que a empresa não caia na tentação de substituir trabalhadores em greve porque tudo nos leva a crer que a empresa terá essa vontade", explicou à TSF José Eduardo Andrade.

É esperada a adesão à greve por parte de 15 dos 20 trabalhadores dos Silos de Leixões. Os cinco que não fazem greve têm contrato com a empresa.

Na terça-feira há plenário de trabalhadores para fazer um balanço da greve.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de