Três dias a cheirar a gasolina e a pneu queimado em Vila Real

O 51.º Circuito Internacional arranca esta sexta-feira e termina domingo em ambiente de grande paixão pelas corridas de automóveis na cidade transmontana.

Até domingo, Vila Real espera receber muitas dezenas de milhares de pessoas para ver as corridas de automóveis. No circuito internacional corre-se a quinta etapa da Taça do Mundo de Carros de Turismo (WTCR), em que milita o português Tiago Monteiro, bem como várias provas nacionais, com centenas de carros e pilotos em pista.

Numa terra onde a paixão pelas corridas passa de pais para filhos há quase 100 anos, o entusiasmo com o regresso da competição é grande. Não admira que na sessão de autógrafos com pilotos tenha havido pessoas que esperaram duas horas na fila, sob um sol escaldante, só para terem uma rubrica num capacete, fotografia, cartaz, camisola ou bandeira.

Um deles foi João Mafra, de 17 anos. Levou uma bandeira portuguesa e um pneu de carro de karting para receber as rubricas dos que, este fim de semana, se hão de bater pela vitória na quinta etapa da edição deste ano do WTCR, em Vila Real.

Como vila-realense de gema, Mafra herdou da família o gosto pelas corridas de automóveis, "algo que impulsiona Vila Real a nível mundial". Daí que todos os anos vá recolher autógrafos. "Gosto muito de Tiago Monteiro, mas o Tom Coronel é o que tem mais humor e é sempre muito bem recebido pelos vila-realenses, apesar de ser estrangeiro (Países Baixos)."

É por sentir esta paixão que Tiago Monteiro, piloto da Honda na Taça do Mundo de Carros de Turismo, gosta tanto de correr em Vila Real, "numa pista rodeada de um ambiente incrível". Depois de dois anos de paragem devido à pandemia, o piloto português, que venceu, em Vila Real, as corridas principais do WTCC (extinto Campeonato do Mundo de Carros de Turismo) e do WTCR, respetivamente, em 2016 e 2019, sente que o "público está muito motivado e a dar muito apoio".

Apesar de "muito animado e motivado" para a competição deste fim de semana, Monteiro tem "expectativas cautelosas". O início do ano "tem sido difícil", uma vez que "o Honda não está a um grande nível, por enquanto". Embora seja difícil prever o que se vai passar, Monteiro confessa que vai ser "um pouco complicado dar as mesmas alegrias dos últimos anos", embora prometa "dar o melhor".

Este ano, as corridas de Vila Real ainda têm outro atrativo. O piloto do Moto GP, Miguel Oliveira, vai correr com o pai num Hyundai i30R na prova do Campeonato Nacional de Velocidade. Vai para se divertir e para "aproveitar o bom ambiente do desporto motorizado que se respira no Norte para estar perto dos fãs".

"Em Vila Real vai ser uma experiência diferente da que tivemos no Estoril, pois este é um circuito citadino e parece mais apertado. Espero que corra tudo bem", disse o pai de Miguel, Paulo Oliveira.

Uma das fãs de Miguel Oliveira é Daniela Silva, que não descansou até ter o autógrafo do piloto e "sentir a vibração de estar perto dele". Mas ela, que é bombeira na corporação dos Bombeiros Voluntários da Cruz Verde de Vila Real, diz "gostar também de todos os pilotos do WTCR" e que espera poder estar perto deles durante o fim de semana.

Os vila-realenses vibram com as corridas de automóveis e o presidente da Câmara Municipal, Rui Santos, tem sentido que este ano "há ainda maior entusiasmo". Após dois anos sem circuito devido à pandemia, as pessoas "estão ansiosas por voltarem à rua e verem os melhores pilotos do mundo".

O programa desta sexta-feira do 51.º Circuito Internacional de Vila Real vai ser ocupado, essencialmente, por treinos e qualificações dos campeonatos nacionais. Os carros do WTCR começam a acelerar sábado, com treinos livres a partir das 10h00 e qualificações a partir das 17h00. As corridas decisivas da prova mundial estão previstas para as 13h00 e para as 17h00 de domingo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de