Três inspetores do SEF suspeitos de homicídio ficam em prisão domiciliária

Os arguidos não prestaram qualquer declaração durante o primeiro interrogatório judicial.

Os três inspetores do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, acusados do homicídio de um cidadão ucraniano no aeroporto de Lisboa, ficam em prisão domiciliária, avança a RTP3.

Os arguidos, que não prestaram qualquer declaração durante o primeiro interrogatório judicial, ficam proibidos de contactar entre si.

A Polícia Judiciária deteve três inspetores do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) por "fortes indícios da prática de um crime de homicídio" de um cidadão ucraniano, de 40 anos, no aeroporto de Lisboa.

De acordo com uma nota enviada às redações, os inspetores de 42, 43 e 47 anos terão sido responsáveis pela morte "de um homem de nacionalidade ucraniana, de 40 anos, que tentara entrar, ilegalmente, por via aérea, em território nacional, no dia 10 de março".

A mesma nota avança que "os factos foram cometidos nas instalações do Centro de Instalação Temporária, no aeroporto de Lisboa, no passado dia 12, após a vítima ter supostamente provocado alguns distúrbios no local."

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de