Último rastreio nas escolas identifica 125 casos em mais de 110 mil testes

No total, foram testados mais de 110 mil professores e funcionários de todas as escolas dos 2.º e 3.º ciclos, do setor público e privado, que regressaram na segunda-feira ao ensino presencial.

Os rastreios mais recentes nas escolas, que decorreram durante a semana passada, revelaram 125 casos positivos de Covid-19 em mais de 110 mil testes, de acordo com um balanço divulgado esta segunda-feira pelo Ministério da Educação.

No total, foram testados mais de 110 mil professores e funcionários de todas as escolas dos 2.º e 3.º ciclos, do setor público e privado, que regressaram na segunda-feira ao ensino presencial, e daquelas do pré-escolar e 1.º ciclo em concelhos com mais de 120 casos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias.

O rastreio permitiu identificar 125 casos positivos, o equivalente a uma taxa de positividade de 0,1%, sublinha a tutela, um número semelhante ao registado nos estabelecimentos escolares das zonas de maior risco que reabriram primeiro, ainda em março.

Para o Ministério da Educação, os resultados demonstram como as escolas "se têm afiançado como lugares seguros".

No rastreio realizado aquando da reabertura do pré-escolar e do 1.º ciclo, a taxa de positividade registada tinha sido também inferior a 0,1%, com 80 casos de infeção entre mais de 82 mil testes.

Em comunicado, o ministério acrescenta ainda que "paralelamente a esta testagem massiva em ambiente escolar, são feitos os testes regulares de saúde pública, nomeadamente aquando da deteção de casos positivos, procurando identificar-se e quebrar-se cadeias de transmissão, dentro e fora dos portões das escolas".

A partir de segunda-feira, caso as escolas secundárias reabram conforme previsto no plano de desconfinamento do Governo, haverá também um "primeiro varrimento", como lhe chamou o ministro Tiago Brandão Rodrigues, com a testagem de todos os professores, funcionários, e incluindo desta vez os alunos.

Nas escolas dos 2.º e 3.º ciclos localizadas em concelhos de maior risco, os profissionais repetem o teste também na próxima semana.

Depois do primeiro rastreio, o "Programa de Rastreios laboratoriais para a SARS-CoV-2 nas creches e estabelecimentos de educação e ensino" prevê a repetição dos testes 14 dias depois, apenas nos concelhos com um nível de incidência de casos positivos acima de 120/100 mil habitantes.

Os testes rápidos voltam a realizar-se com uma periodicidade ajustada ao número de casos identificados nos primeiros, de acordo com as orientações da Direção-Geral da Saúde.

A pandemia de Covid-19 provocou, pelo menos, 2 937 355 mortos no mundo, resultantes de mais de 135,9 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 16 918 pessoas dos 827 765 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de