"Um erro frequente." Luvas e máscaras não devem ir para a reciclagem

Empresa que processa o lixo de mais de cem concelhos alerta para os cuidados especiais a ter com o lixo que possa estar contaminado.

Luvas descartáveis, máscaras e lenços de papel são, mais do que nunca, objetos que fazem cada vez mais parte do dia-a-dia dos portugueses. Mas, na hora de os deitar fora, a dúvida ainda persiste: lixo ou reciclagem?

A empresa que recolhe e trata o lixo em mais de uma centena de concelhos do país desfaz a dúvida: não devem ir para a reciclagem. À TSF, a porta-voz da EGF Ana Loureiro, afirma que por poderem estar contaminados, objetos como luvas, máscaras e lenços devem ir para o lixo.

"É um erro frequente. Tudo o que é máscaras, luvas e lenços não são nem nunca foram materiais reciclados. Agora, com a possibilidade de estarem contaminados, é um risco acrescido irem parar a um ecoponto. Devem ir para o lixo comum", garante a porta-voz.

O lixo proveniente de pessoas infetadas com Covid-19 também deve inspirar cuidados especiais, até porque "lixo contaminado não é reciclável, seja ele qual for".

As regras divulgadas pela Agência Portuguesa do Ambiente e pela Direção-Geral da Saúde, lembra Ana Loureiro, ditam que "sacos proveniente de pessoas potencialmente infetadas devem estar num saco bem fechado, colocado dentro de um outro saco bem fechado".

Também estes sacos "devem ser colocados no lixo comum e nunca no chão". Em Portugal, a Covid-19 já fez 100 mortos e infetou 5170 pessoas.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de