Utente de lar de Vimioso morreu após ter sido hospitalizado com Covid-19

Vítima não tinha retaguarda familiar, razão pela qual estava institucionalizado.

A direção do Lar de Carção, no concelho de Vimioso, distrito de Bragança, confirmou esta sexta-feira a morte de um homem de 85 anos que foi vítima da infeção provocada pela Covid-19 e que se encontrava hospitalizado.

"O senhor sofria de doença pulmonar obstrutiva crónica e aos primeiros sintomas de Covid-19, foi transportado na quinta-feira de manhã para a urgência do Hospital de Bragança, onde viria a falecer hoje ao início da tarde", concretizou a fonte.

Segundo a direção do Lar de Carção, a vítima não tinha retaguarda familiar, razão pela qual estava institucionalizado.

O lar do Centro Social e Paroquial de Casa de Religiosa de Nossa Senhora das Graças tem 31 utentes e 16 funcionários no ativo, que foram testados como forma de rastreio da doença, estando a aguardar resultados.

Segundo a direção do Lar, estão em isolamento profilático quatro utentes, em alas distintas da instituição, cumprindo as normas emitidas pela Direção Geral da Saúde (DGS). Em isolamento domiciliário estão igualmente quatro funcionários.

A direção do Lar de Carção acionou o Plano de Contingência, face à situação vivida. Segundo o último boletim epidemiológico emitido da Unidade Local de Saúde (ULS) do Nordeste, há 117 casos de doença ativa e no concelho de Vimioso, o número de casos de Covid-19 é de 27, o que faz com nesta altura seja o território mais atingido pelo novo coronavírus no distrito de Bragança.

O distrito de Bragança não registava qualquer morte desde o 23 de maio de 2020. Ao todo são já 25 mortes por Covid-19, na área de influência da ULS Nordeste.

Em Portugal, morreram 1894 pessoas dos 67 176 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de