Vacina contra a Covid-19 será "gratuita e facultativa" em Portugal

Marta Temido levantou o véu sobre o plano português de vacinação e admitiu que Portugal vai passar por um primeiro momento de "maior escassez" de vacinas antes de ser possível abranger toda a população.

A ministra da Saúde, Marta Temido, explicou esta quarta-feira que a vacina contra a Covid-19 será "facultativa e gratuita" em Portugal e "universal", distribuída através do Serviço Nacional de Saúde.

Em conferência de imprensa depois da reunião com o primeiro-ministro, António Costa, e a equipa nomeada pelo Governo para preparar o plano português de vacinação, Marta Temido indicou que a administração da vacina vai decorrer "no Serviço Nacional de Saúde", com a mesma a ser destinada a "todos os que tiverem indicação clínica" para a tomar em função das características.

A vacina "será obviamente gratuita e facultativa", garantiu também a ministra, que antecipa desde já um primeiro momento de "maior escassez no acesso a vacinas" em Portugal, com o Governo a admitir um cenário de "maior abrangência" no decorrer de 2021.

Estes momentos de acesso, refere, dependem da "disponibilização de vacinas" dentro do que é o "calendário previsível" e assenta em três pressupostos: a disponibilização das vacinas no mercado por parte das farmacêuticas, a aprovação pela Agência Europeia do Medicamento e a entrega das vacinas a cada um dos países, algo que "acontecerá simultaneamente em todos".

Além dos pressupostos necessários para a disponibilização da vacina, há também incerteza sobre a eficácia da vacina, os ensaios clínicos e a duração da imunidade. São fatores que ainda não foram avaliados pela Agência Europeia do Medicamento e que levam a governante a sublinhar que o "processo de vacinação vai ser longo".

Com a data indicada pela Bélgica - 5 de janeiro - para o início da vacinação a ser tomada como referência, Marta Temido refere que o rascunho do plano português já definiu, em função das vacinas disponíveis e possíveis quantidades, "quais são os grupos-alvo para a vacinação, onde será realizada a administração, onde será feito o registo eletrónico da vacinação, os aspetos relacionados com a logística e segurança de todo este processo e também os aspetos da comunicação".

O Plano de Vacinação de Combate à Covid-19 em Portugal é apresentado esta quinta-feira pelo Governo e resulta de um investimento que "pode chegar aos 200 milhões de euros" e que se traduz na compra de cerca de 22 milhões de doses da vacina.

Portugal contabiliza pelo menos 4645 mortos associados à Covid-19 em 303 846 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS).

LEIA AQUI TUDO SOBRE O NOVO CORONAVÍRUS

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de