Vacina contra a gripe e 3.ª dose contra Covid no mesmo ato? "Ainda não temos informação"

A ministra da Saúde afirma que apesar das incertezas sobre atingir os 85% de pessoas totalmente vacinadas a 1 de outubro, o desconfinamento irá prosseguir.

Marta Temido adiantou, esta terça-feira, que a aquisição de vacinas para a gripe sazonal foi reforçada, "com 140 mil doses adquiridas numa primeira fase e agora, num outro processo de aquisição que está em curso, mais 300 mil doses". A ministra da Saúde frisou também que as doses que já chegaram ao país, "estão em distribuição".

"A vacinação contra a gripe sazonal tem um público-alvo específico, não são todas as pessoas que precisam", alertou, reforçando que esta vacina não é para todos os portugueses, mas sim para a população mais vulnerável, como idosos ou grávidas.

A campanha contra a gripe sazonal começou na segunda-feira e vai decorrer até ao mês de dezembro. Marta Temido considerou que este "é um processo contínuo".

"Caso precisemos de administrar uma terceira dose da vacina contra a Covid, ainda não temos informação que nos permita fazer a coadministração, ou seja, no mesmo ato vacinar contra a gripe sazonal e contra a Covid-19", indicou a ministra da Saúde, acrescentando que o plano prevê um intervalo mínimo de 14 dias entre a vacinação contra a gripe sazonal e uma eventual terceira dose contra a Covid-19.

Marta Temido destaca "esforço de coesão nacional" na vacinação contra a Covid-19

A ministra da Saúde fez um "balanço positivo" da vacinação contra a Covid-19, destacando "o esforço de coesão nacional que conduziu a estes resultados".

O aspeto mais importante foi, sem dúvida nenhuma, a adesão dos portugueses à vacinação, a tradição de confiança nas autoridades de saúde e num plano de vacinação que é voluntário e que sempre teve na base a melhor evidência (prova científica)", afirmou.

Marta Temido sublinhou a adesão dos portugueses à vacinação, referindo que os 85% era a percentagem "mais difícil de atingir, dado que o processo tem encontrado alguma resistência nestes últimos dias".

Portugal encontra-se muito perto de atingir os 85% de pessoas totalmente vacinadas. "Se não for no dia 1 de outubro, será na primeira semana de outubro", avançou Marta Temido, que reforçou que "o importante é continuar a vacinar" mesmo quando esta marca for atingida.

Apesar de não haver certezas sobre se os 85% serem atingidos a 1 de outubro, Marta Temido disse que o desconfinamento irá avançar.

Marta Temido esclareceu também que a revisão das condições de isolamento para crianças e jovens vacinados será conhecida em breve.

"A Direção-Geral da Saúde está neste momento a trabalhar em articulação com o Ministério da Saúde num conjunto de normas que decorrem da evolução daquilo que é o nosso estado vacinal, portanto, 85% de vacinação, e que tem de ter um reflexo nas regras -, mas também daquilo que são regras fixadas em termos das últimas decisões do Conselho Ministros", disse.

"Esperamos que no final desta semana e até domingo estejamos em condições de ter todo este conjunto de regras conhecidas por todos e aplicadas por todos", adiantou Marta Temido.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de