PSP procura mais de dez migrantes em Vila Real de Santo António

Grupo desembarcou de forma irregular numa praia local e as autoridades encontraram a embarcação que utilizaram.

A PSP de Vila Real de Santo António revelou que, além dos três marroquinos detidos, na segunda-feira, naquela cidade, há cerca de 16 que estão em parte incerta. São migrantes que também viajaram no barco encontrado numa praia daquela localidade.

O grupo desembarcou de forma irregular numa praia local e as autoridades encontraram a embarcação que utilizaram. Em conferência de imprensa esta terça-feira de manhã, o subintendente da Polícia de Segurança Pública (PSP) Hugo Marado adiantou que as autoridades estão agora à procura dos restantes migrantes.

"A informação foi transmitida às forças e serviços de segurança da região e o nosso dispositivo, nomeadamente o Sotavento, encontra-se especialmente atento a esta questão. É possível que alguns ainda se encontrem em território nacional, mas poderá ter acontecido já o contrário, no caso de eventual ida para Espanha", explicou o subintendente Hugo Marado.

O responsável revelou também que os três homens que estão detidos foram encontrados facilmente enquanto andavam pela cidade.

"Uma das nossas patrulhas achou estranha a conduta e postura de três cidadãos, desconhecidos da cidade, aparentando alguma fadiga e desorientação, fruto certamente do desconhecimento do local onde se encontravam. Um conjunto de indícios que nos levaram a abordar e intercetar os três cidadãos, que posteriormente viemos a perceber que estavam em situação irregular", acrescentou o representante da PSP.

A pequena embarcação, detetada logo ao início da manhã, continha jerricãs para combustível e indícios de comida, o que levou a Polícia Marítima a comunicar a situação à GNR, à PSP e ao Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF).

"Acreditamos que tivessem vindo numa embarcação maior e tenham sido depois colocados numa embarcação mais pequena. Não nos parece que uma embarcação daquelas seja capaz de fazer todo o trajeto", referiu aquele responsável.

Os três homens vão ser levados a tribunal ainda esta terça-feira, por volta das 15h. Esta é a sétima embarcação que chega à costa algarvia vinda do norte de África, desde dezembro de 2019.

A última vez foi a 15 de setembro de 2020, quando as autoridades intercetaram o grupo de migrantes que desembarcou ilegalmente na ilha Deserta, em Faro, e se colocou em fuga de seguida.

Entre dezembro de 2019 e dezembro de 2020 desembarcaram no Algarve 97 migrantes, em seis embarcações, todos eles indocumentados e alegadamente provenientes do mesmo ponto, a cidade de El Jadida, em Marrocos, situada na costa atlântica do país, a 700 quilómetros do Algarve.

Parte destes migrantes tentaram pedir asilo, mas foi-lhes negado, alguns estão em parte incerta e a maioria recebeu ordem de expulsão do país, aguardando a concretização da decisão judicial em prisões e outros locais, onde se encontram à guarda das autoridades.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de