Tribunal dá razão a Rui Pedro Soares no processo contra o Sol

O Tribunal da Relação de Lisboa deu hoje razão a Rui Pedro Soares relativamente à providência cautelar interposta em Fevereiro para evitar a publicação de declarações suas no Sol.

Segundo fonte ligada ao processo, a decisão do Tribunal da Relação de Lisboa é referente a um recurso interposto pela sociedade detentora do semário Sol (o Sol é Essencial) quando confrontada pela providência cautelar de Rui Pedro Soares.

De acordo com a mesma fonte, a indemnização a pagar ascende a cerca de meio milhão de euros, já que o Tribunal da Relação manteve os valores apresentados anteriormente.

Em Maio, o tribunal cível decidiu que o director do Sol teria de pagar dez mil euros pela violação da providência cautelar apresentada em Fevereiro, enquanto as jornalistas Felícia Cabrita e Ana Paula Azevedo teriam de pagar cinco mil euros cada uma.

Contactado pela agência Lusa, o director do semanário, José António Saraiva, admitiu que ainda não teve conhecimento formal da sentença, mas garantiu que vai recorrer desta decisão.

Já Rui Pedro Soares preferiu recorrer a uma declaração lida, adiantando que está «perfeitamente consciente das consequências a que se sujeita quem não se conforma com os abusos e incompetências de alguns maus jornalistas e com as faces ocultas e semi-ocultas que os alimentam e que dele se alimentam».

«Não ignoro que essa atitude continuará a atrair sobre mim uma campanha de ódio, mas tenho esperança que a minha actuação  possa incutir ânimo e esperança aos próximos alvos de campanhas negras lançados pelo arquitecto José António Saraiva e por quem mais se pauta pelos mesmos padrões», declarou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de