A espantosa realidade das coisas

“A espantosa realidade das coisas é a minha descoberta de todos os dias”
No magazine semanal de Fernando Alves, o sociólogo Paulo Pedroso observa a superfície e o fundo dos grandes temas da sociedade global. A investigadora Rita Figueiras promove a literacia da comunicação política. E a repórter Teresa Dias Mendes regista sinais fortes dos dias que passam.
Aos domingos, depois das 13h00

Desenhos escondidos em livros e outras espantosas realidades com e sem bolinha

Querem que vos faça um desenho? - pergunta o editor do magazine A Espantosa Realidade das Coisas, na última emissão antes das férias.

Esta emissão começa com uma reportagem de Teresa Dias Mendes na livraria Poesia Incompleta, em Lisboa. A ideia ficou madura em Maio: a ilustradora Bárbara Assis Pacheco foi fazendo desenhos "para maiores de dezoito" (da série "Isolamento Social, Quarentena"). Esses desenhos foram escondidos aleatoriamente em livros de poesia espalhados pela livraria da rua de São Ciro. Os clientes que encontrarem um livro com desenho dentro podem ficar com o desenho desde que comprem um outro livro. Esse outro livro será oferecido à ilustradora. "A coisa", explica Bárbara Assis Pacheco "durará até ao último livro com desenho escondido".

"Os portugueses", explica o livreiro Mário Guerra, ouvido na reportagem, "estão finalmente a perceber o encanto dos desenhos com uma certa badalhoquice". "Nestas épocas", prossegue o anfitrião da iniciativa, "as pessoas precisam de um bocadinho de beleza e saídas da mesmice".

A conversa muda de agulha para algo verdadeiramente pornográfico: a pobreza. Paulo Pedroso, o sociólogo e professor do ISCTE que é um dos comentadores residentes do magazine dos domingos, comenta um artigo de Philip Alton no "Guardian". O até há pouco relator especial das Nações Unidas sobre a pobreza e os direitos humanos chama a atenção para o facto de a covid 19 ter revelado "uma pandemia pré-existente de pobreza que beneficia os ricos".

Paulo Pedroso comenta ainda o acordo para um Fundo de Recuperação obtido no último Conselho Europeu. E a carta aberta de um grupo de 83 milionários, na maioria norte-americanos, na qual é escrito: "Pedimos aos nossos governos que aumentem os impostos cobrados a pessoas como nós. Imediatamente".

Rita Figueiras, professora de Ciências da Comunicação e Comunicação Política da Universidade Católica de Lisboa, também comentadora residente do magazine A Espantosa Realidade das Coisas, reflecte sobre a importância de um projecto jornalístico alternativo, intitulado "El Salto", criado na órbita do jornal Diagonal. Este projecto espanhol está associado a 60 blogues, uma plataforma de rádio e outra de vídeo. El Salto não tem chefes nem directores, apenas 20 trabalhadores que recebem salário igual. O que trouxe o projecto para discussão foi um artigo sobre a necessidade de "criticar o jornalismo, para salvar os jornalistas".

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de