A Rede Social

As conversas de olhos nos olhos alargam e enriquecem a nossa rede social. A Rede Social, a entrevista de Fernando Alves.
Às terças-feiras, depois das 19h00.

João de Almeida Santos, autor de "Homo Zappiens, o feitiço da televisão": "Este é um livro sobre o poder do telecomando"

O convidado do programa "A Rede Social" é, esta terça-feira, João de Almeida Santos, director da Faculdade de Ciências Sociais, Educação e Administração da Universidade Lusófona. João de Almeida Santos é doutorado em Filosofia pela Universidade de Roma e Ciências da Comunicação pela Complutense de Madrid. Deu aulas em ambas. Dirige a revista Res Publica.

Agora que a Parsifal acaba de reeditar o seu livro "Homo Zappiens , o feitiço da Televisão", foi inquirido pelo jornalista Fernando Alves sobre se o homo zappiens é mais sapiens que os outros ou apenas mais rápido de mãos. "Eu costumo dizer aos meus alunos que, para perceberem os conceitos, devem ir à etimologia. Isso serve para responder à sua pergunta. Zappiens é a fusão de zapping com sapiens. Estamos perante um ser híbrido que quer saber tudo muito rapidamente. O resultado não é lá muito bom", responde o investigador.

João de Almeida Santos explica que este é um livro sobre o poder do telecomando E a conversa começa pela evocação de uma cena de "Bem Vindo, Mr Chance" em que o jardineiro representado por Peter Sellers só sabe do mundo para além dos portões dos jornais pelo que vê na televisão. Um dia, quando sai de casa, leva o telecomando. E ao ser assaltado, tenta mudar a cena do próprio assalto.

O homo zappiens é, também, um escravo do telecomando. "Tenta saber tudo e acaba por não saber nada", conclui João de Almeida Santos. "Porque, como lembrava o Paul Virilio, a velocidade mata".

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de